Minha trilha

Danilo Miranda

, O Estado de S.Paulo

11 de setembro de 2010 | 00h00

De Miles a Janis na playlist do diretor do Sesc

1. BEBÊ - Hermeto Pascoal.

"Um baião fusion. Porta de entrada para a genialidade de Hermeto."

2. ATRÁS DA PORTA -

Elis Regina.

"A amargura de cada verso tem o gosto de uma separação. Ouso dizer que ela não deveria ser gravada por mais ninguém."

3. PIECE OF MY HEART -

Janis Joplin.

"A efervescência da contracultura de 1968, ano em que entrei no Sesc. Modificar o acesso à arte era trabalho a ser feito imediatamente."

4. ADIOS NONINO -

Astor Piazzolla.

"Piazzolla a compôs após a morte de seu pai. Um réquiem em forma de tango."

5. FEITIÇO DA VILA -

Noel Rosa

""São Paulo dá café, Minas dá leite e a Vila Isabel dá samba." Imagine que Noel Rosa já falava em economia criativa avant la lettre."

6. ASCENSOR PARA O CADAFALSO - Miles Davis

"A mistura de artes está ali: Louis Malle rege Jeanne Moreau, que flana por Paris à guisa trôpega do improviso de Miles."

7. A FLOR E O ESPINHO - Nelson Cavaquinho

""Tire o seu sorriso do caminho que eu quero passar com minha dor." Um dos

versos mais bonitos do cancioneiro brasileiro."

8. CHOVENDO NA ROSEIRA - Tom Jobim

"As gotas de chuva caem onomatopeicas ao piano de Tom."

9. ALICE - Tom Waits.

"Se expor como um Lewis Carroll decrépito que vive a pensar em Alice até o final da vida é corajoso. Um Waits literato."

10. APRIL IN PARIS -

Ella e Louis.

"Paris em abril reúne alguns símbolos da minha vida: humanistas, utopias e amigos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.