Mineiro vence eliminatória nacional para Copa da Fifa no videogame

Guilherme Gonzaga, de 17 anos, foi o campeão na disputa em São Paulo e representará o Brasil no Mundial em Madrid, Espanha

Breno Pires, de O Estado de S.Paulo,

14 de abril de 2013 | 07h00

Após cerca de 1100 jogos, em sete cidades, em um torneio com 1000 jogadores, foi o mineiro Guilherme Gonzaga, de 17 anos, quem venceu a eliminatória brasileira da Copa do Mundo Interativa da Fifa. A final do campeonato de futebol virtual do game Fifa aconteceu na tarde deste sábado, 13, no Shopping Eldorado, em São Paulo. O campeão, que mora em Belo Horizonte, terá como prêmio uma viagem a Madrid, na Espanha, para disputar a final da Copa do Mundo da categoria, entre os dias 4 e 8 de maio.

Na arena montada com grande quantidade de televisões, consoles e joysticks, os gritos de torcida de futebol eram adaptados aos nomes dos jogadores que inspiravam a emoção do público. O mais popular era o então bicampeão Gustavo Nascimento, de 17 anos ("Vamos, Gustavo. Vamos, Gustavo. Vamos ser campeão!"). Mas ele caiu na disputa contra Guilherme, vencedor de uma etapa prévia em Belo Horizonte. A partir daí, o mineirou ganhou mais confiança e também a simpatia do público, ao mostrar bom humor nas conversas com os apresentadores do evento -- entre eles, o rapper Thaíde. O segundo lugar foi Pedro Consentino, de Mauá-SP; e o terceiro, Edson Mata, de Olinda-PE.

 

 

A espera para competir foi longa para alguns dos 192 jogadores que participaram da competição neste sábado. Muitas credenciais foram preenchidas no dia, com inscrições a partir das 9h. Apenas na terceira fase, entraram os 16 pré-classificados, que vieram das seletivas que aconteceram nas seis cidades-sede da Copa das Confederações, além de uma etapa preliminar realizada em São Paulo.

Para não correr perigo de ficar de fora, o paranaense Alan Lacerda, 23, exagerou. Chegou ao local do evento à meia-noite e meia, após dez horas de ônibus vindo de Paranaguá-PR. "A adrenalina não deixa eu me cansar. Estou há um ano esperando por esse dia", disse. Na adolescência, ele tinha como principal hobby jogar xadrez. Hoje, vê algumas afinidades entre as duas modalidades de jogo: "Os conhecimentos do xadrez ajudam a compreender o esquema tático no videogame, respeitar a posição dos jogadores, tirar o melhor de cada peça em campo", afirmou.

O mais jovem era Moisés Soares, de 8 anos. Magrinho, de óculos, tímido, mas arrojado no jogo, ele chegou para a fase classificatória e venceu duas rodadas. Caiu na terceira, mas foi aplaudido. "Fiquei muito feliz por jogar. (Mas) Não sei perder", disse após ter sido eliminado. Foi com o pai, André Soares, que Moisés aprendeu a jogar. André estimula a prática do filho e ressalta que, mesmo ele jogando várias horas, não há nenhum prejuízo: "O boletim dele só tem 9 e 10. Além disso, ele pratica judô e já subiu quatro faixas", diz, orgulhoso.

 

 

 

O Brasil é o único país em que a seletiva para o Mundial da Fifa acontece de forma presencial. Os demais competidores são selecionados através de disputas online, em um ranking no mundo todo. Mais de 1 milhão de competidores disputaram as vagas para a fase final em Madrid.

Guilherme Gonzaga tentará conquistar o segundo título brasileiro. Thiago Carriço faturou a primeira edição realizada, em 2004. Nenhum país tem dois campeões diferentes, apesar de a Espanha ter dois títulos, conquistados por Alfonso Ramos, atual campeão. O campeão do mundo recebe um troféu da Fifa na cerimônia anual que premia também os melhores do futebol de campo.

Convidados. Quem também marcou presença no local foi uma dupla de "fakes" que já conquistou milhares de fãs nas redes sociais, ao imitar com ironia duas figuras marcantes do futebol nacional: o técnico Muricy Ramalho, do Santos, e o presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio. O perfil Muricy Trabalho tem 30 mil seguidores no Facebook e Juvenal Juvêncio tem 34 mil. O jornalista e músico Caio Costa Carvalho, de 23 anos, não hesitou em assumir a identidade de Muricy Trabalho. Já quem está por trás da máscara do Juvenal Juvêncio não se revelou.

Com a bola rolando (virtualmente), Muricy deu um banho em Juvenal e venceu por 3 a 0, sem abrir mão do estilo de jogo que apregoa como ideal nos posts no Facebook: três zagueiros, alas, cruzamentos e força física. Ele abriu o placar com Cícero numa jogada típica: o meio-campista "dando de cabeça chegando de trás". "É o trabalho", explicou. Já Juvenal disse que a arbitragem beneficiou o Santos na hora da expulsão do zagueiro Rhodolfo em pênalti assinalado em cima de Neymar. "O juiz pensou que era o Corinthians", ironizou Juvenal.

Algumas jogadoras da seleção brasileira de futebol feminino prestigiaram o evento, como forma de divulgação da própria modalidade que praticam. A zagueira Erika admitiu que não sabia jogar o videogame, mas apontou as colegas Andressa, lateral-esquerda, e Giovana, lateral-direira, como duas feras. Elas se enfrentaram em um dos totens disponíveis, e Andressa levou a melhor. Todas elas brincaram também com a bola num campinho montado para exibições, incluindo futebol estilo livre.

 

 

Messi? Que nada. O Real Madrid é a equipe preferida entre os competidores. E muito disso se deve ao atacante Cristiano Ronaldo. O português é quase unanimidade entre os jogadores. Ele supera o melhor do mundo nos gramados reais, Messi, em quesitos fundamentais: força física, finalização com as duas pernas, cabeceio e cobranças de falta. Além disso, o Real tem mais poder de marcação que o Barça. Por esses motivos, poucas vezes a equipe da Catalunha foi selecionada pelos competidores.

Crítica. Dentre tantos participantes, três vieram de outros países da América Latina, qualificados pela participação exitosa em outra competição, que rendeu vagas aos quatro primeiros colocados. Os mexicanos Andrei Jordan Vivero, de 23 anos, e Irving Velazquez Leyva, de 24, e o peruano Dany Alban Rojas, 29, reclamaram da pequena duração dos jogos das primeiras fases de disputa do dia e da impossibilidade de configurar os botões do controle. Andrei jogará a etapa mundial em Madrid por ter se classificado na disputa online.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.