MinC fará curso sobre patrocínio cultural

O Ministério da Cultura oferece, na próxima segunda-feira, na Fundação Getúlio Vargas, um curso destinado às empresas que tenham interesse em patrocinar projetos culturais que destacam a questão social. A atuação do Ballet Stagium será utilizada como exemplo de um caso concreto de comprometimento com a sociedade. A fundadora da companhia, Marika Gidali, abordará a situação dos três projetos do grupo: Dança na Febem, Projeto Escola e o Projeto Joaninha. Todos apoiados pela Secretaria de Estado da Cultura e BR Distribuidores, neste caso por meio da Lei Rouanet. Em nome da empresa falará o gerente de comunicação e marketing, Luiz Macedo. "O apoio da Secretaria e o patrocínio que obtivemos da BR foi fundamental para colocarmos em prática esses projetos", conta Marika. "Não basta ter uma idéia, precisamos de apoio financeiro para atuarmos." Dança na Febem foi concebido após uma rebelião em uma das unidades. "O secretário Marcos Mendonça convidou-me para desenvolver atividades nas unidades da Febem, a fim de proporcionar aos meninos desenvolvimento cultural por meio da dança", lembra. A diretora do Stagium convocou professores de dança de rua e ligados ao movimento hip hop, linguagem que mais se adequava ao universo dos meninos, que passaram, pouco a pouco, a atuar na Febem. O processo foi gradual, mas interfere diretamente na formação dos garotos. "Atualmente estamos ocupando todos os dias da agenda com aulas em todas as unidades da capital e já rumamos para o Guarujá e interior." A expansão do projeto não se dá apenas no número de pessoas participantes, mas também no desempenho dos garotos e garotas no palco. "Alguns destacam-se como futuros talentos para a dança", comenta. Não são os únicos. Neste mês de outubro a turma do Projeto Joaninha estréia um espetáculo. "Reunimos essas crianças todos os sábados, para dar aulas de capoeira, dança de rua e balé. Com o apoio da BR, essa meninada recebe vale-transporte, lanches e, no mês que vem, apresentarão uma coreografia que conta a história do Brasil", afirma. Essa mesma turminha participou na estréia, no ano passado, da peça Às Margens dos Trilhos. Outra maneira de incentivar educar pela dança é o Projeto Escola, que leva coreografias para serem apresentadas para alunos da rede pública de ensino. A trajetória da companhia, nesses 30 anos de existência, é marcada pela forte ligação entre as apresentações e a ação social. Por essa razão, os diretores, Marika e Décio Otero, receberam prêmios, até mesmo um concedido pela Unicef. Esses projetos têm patrocínio da BR Distribuidores, por meio da Lei Rouanet. O curso oferecido pelo Minc instrui empresas, que pagam altas taxas de Imposto de Renda, a patrocinar ações como a do Stagium. A intenção é fazer com que os empresários incentivem grupos e companhias com parte do dinheiro que pagam ao governo. De acordo com o Ministério, apenas 1% das empresas utilizam as Leis de Incentivo a Cultura. Outras ações importantes são beneficiadas por essas leis, como o Projeto Guri, um dos mais bem sucedidos programas voltados às crianças carentes. Vencedor, no ano 2000, do Prêmio Multicultural Estadão Cultura, desenvolve o gosto e aptidão musical em meninos e meninas da periferia. No mês passado, as diretoras foram convidadas a participar da Assembléia Geral das Nações Unidas em favor da infância.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.