Fábio Motta/AE - 19/10/2009
Fábio Motta/AE - 19/10/2009

MinC diz que 70% do acervo de Oiticica poderá ser recuperado

Museus de todo o país enviaram secadores para desumidificar as obras; 'Parangolés' ganharão réplicas

Fabiana Cimieri, da Agência Estado,

30 de outubro de 2009 | 12h41

Representantes do Ministério da Cultura (MinC) e da família do artista plástico Hélio Oiticica estimam que 70% do acervo do artista poderá ser restaurado e recuperado. Um incêndio atingiu a casa onde as obras estavam guardadas, no bairro Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio, há duas semanas.

 

Segundo o secretário-executivo do Ministério da Cultura, Alfredo Manezy, trabalhos importantes de Oiticica, como "Metaesquemas", "Bólidos" e "Grupo Frente", fazem parte do grupo de 2.200 obras que puderam ser salvas. Elas haviam sido atingidas pela água usada para apagar o incêndio e estão sendo desumidificadas com secadores emprestados por museus de todo o país.

 

Os "Monocromáticos" e os "Parangolés" atingidos pelo fogo não poderão ser recuperados. No caso deste último, no entanto, a ideia é criar réplicas do trabalho original do artista.

 

O secretário de Política Cultural do MinC, José Luiz Herência, e o sobrinho de Oiticica Cesar Oiticica Filho anunciaram a intenção de realizar uma grande mostra sobre o artista que irá percorrer todas as regiões brasileiras, começando por São Paulo.

 

Segundo Herência, um curto circuito no desumidificador é uma das hipóteses para explicar o incêndio que destruiu parte do acervo do artista. "Essa tragédia aconteceu em relação ao acervo de uma família que sempre conseguiu guardar as obras em condições e normas muitos próximas do ideal", disse o secretário de Política Cultura do MinC.

Tudo o que sabemos sobre:
oiticicaacervoincêndiorecuperado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.