Milton Nascimento embala coreografia da Parsons Dance

Milton Nascimento ficou sem palavras quando viu David Parsons dançando na sua frente. Após terem se encontrado pela primeira vez em 1989 durante o Carlton Festival, Parsons foi até a casa de Milton para, juntos, ensaiarem uma parceria. "Ele fez umas coisas tão bonitas que a gente ficou até doido. Só faltou voar", relembra Milton. Parsons pediu ao músico que solfejasse algumas notas para acompanhar o piano e a bateria do sobrinho e do segundo filho adotivo de Milton, que também estavam lá na ocasião. E deu um belíssimo show na sala da casa do carioca de alma mineira.Mal sabia Milton que aquilo ali seria o esboço sonoro de duas das coreografias que o considerado gênio da dança americana vem apresentar amanhã e quarta-feira no Teatro Municipal de São Paulo. As músicas que compõem a coreografia ''Nascimento Novo'' foram especialmente pensadas para a companhia Parsons Dance - e Milton só teve o gostinho da obra semi-acabada durante o processo de criação. Ainda assim, não economizou nos elogios: "Eu sou fã não-sei-que-número do David. Não dá para acreditar que ele existe."Os dez bailarinos da companhia fundada por David em 1987 respondem à altura com movimentos ágeis, que enchem de vida as batidas sincopadas e a voz potente de um dos nossos maiores intérpretes. O mérito, sem dúvida, é do coreógrafo, que já entendeu muito do espírito brasileiro. "Freqüentei algumas vezes as escolas de samba no Rio, como a Mangueira. Absorvi aquela energia e traduzi em linguagem corporal", conta Parsons. O americano já esteve duas vezes na Amazônia e pretende, em breve, visitar o Pantanal. "É muito importante essa vivência como artista - observar a natureza, ter contato com outras culturas. Isso me alimenta."Quem assiste a alguns trechos de ''Nascimento Novo'' no YouTube pode até duvidar que a coreografia tenha sido feita por um americano ou afirmar que aqueles bailarinos são brasileiros, tamanha compreensão rítmica. Parsons lembra que Milton se dispôs a compor as músicas sem receber qualquer cachê. "Eu disse para ele que não tinha como pagar pelo trabalho, ao que ele me respondeu: ''Eu quero te presentear''". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.Parsons Dance Company. Teatro Municipal. Praça Ramos de Azevedo, s/n.º, centro de São Paulo. Tel. (011) 3222-8698. Amanhã e 4.ª, 21 h. R$ 40 a R$ 150.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.