Milhares de pessoas despedem-se das obras de Klimt

Milhares de amantes da arte foram hoje ao museu de Viena para se despedir de cinco obras do pintor Gustav Klimt, que por decisão judicial devem voltar para a Califórnia, para uma mulher que disse que os nazistas roubaram as telas que pertenciam à sua família.Oficiais da polícia disseram que mais de 4 mil visitantes eram esperados para ver as telas antes que elas saiam, nesta segunda-feira, da prestigiosa Galeria Belvedere, instalada no castelo Belvedere da capital austríaca. Mesmo em um dia frio de inverno, as pessoas formaram filas na calçada para visitar as obras. Muitas pessoas passaram pelo museu no sábado, para se despedir das obras que são consideradas parte do tesouro da Áustria, segundo o museólogo disse Klaus Pokorny.Na semana passada o governo da Áustria disse que não poderia comprar as telas para tê-las de volta, pois a coleção é avaliada em ? 248 milhões(US$ 300 milhões) e determinou que elas voltem para sua real proprietária, Maria Altmann, de 89 anos, na Califórnia, que afirma que os nazistas confiscaram as obras de sua família judia durante a 2.ª Guerra Mundial. Maria é uma funcionária aposentada de uma butique, é uma das pessoas da família que deixou a Áustria em 1938. Ela trava uma batalha legal há sete anos para recuperar as obras, e já afirmou que prefere que elas permaneçam em um local de acesso ao público do que desaparecidas em uma coleção privada.

Agencia Estado,

05 de fevereiro de 2006 | 16h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.