Michelle Pfeiffer faz 50 anos e celebra carreira de sucesso

A atriz protagonizou sucessos como 'Scarface', 'As Bruxas de Eastwick' e 'Susie e os Baker Boys'

Ansa

29 de abril de 2008 | 17h49

A atriz norte-americana Michelle Pfeiffer comera nesta terça-feira, 29, seus 50 anos de vida, marcados por uma sólida carreira na indústria do cinema dos Estados Unidos, ao lado de grandes diretores e companheiros de cena.   A atriz nasceu em 29 de abril de 1958 em Santa Ana, Califórnia, filha de um instalador de ar-condicionado e de uma empregada doméstica, e, ainda jovem, abandonou a idéia de ser cronista para embarcar em outro sonho. Assim, começa seus estudos dramáticos na Beverly Hills Playhouse e, com pouco menos de 20 anos, ganha o concurso de Miss Orange County.   Michelle Pfeiffer consegue seu primeiro papel relevante em Cavaleiros de Hollywood, em 1980, mas se afirma de fato no cinema norte-americano ao protagonizar Grease 2, em 1982, e o excelente Scarface, de Brian de Palma, no ano seguinte e ao lado de Al Pacino.   Depois de estrelar As Bruxas de Eastwick ao lado de Jack Nicholson, em 1987, a atriz californiana recebe, no ano seguinte, uma nominação ao Oscar de melhor atriz coadjuvante pelo longa-metragem Ligações Perigosas, de Stephen Frears. Em 1990 e 1993, ganha outras duas indicações ao Oscar, pelo papel da cantora Suzie Diamond em Susie e os Baker Boys e pelo papel da doméstica Lurene Hallett em As Barreiras do Amor.   Hoje, 20 anos depois de trabalhar com Frears, Michelle Pfeiffer se reúne novamente com o diretor para realizar seu novo filme, Chéri, baseado no romance homônimo da escritora francesa Colette escrito em 1920. A atriz interpreta Lea de Lonval, uma madura dama dos salões parisienses que se relaciona com um jovem rapaz da alta sociedade chamado Fred Peloux e conhecido como Chéri. Depois de seis anos de paixão, o rapaz será obrigado a se casar com outra mulher, mas fica obsessivamente ligado a sua primeira amante.

Tudo o que sabemos sobre:
Michelle Pfeiffer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.