Michel Melamed evoca o carnaval para refletir sobre situação do País

Em 'Adeus à Carne ou Go To Brazil', diretor abre mão de sua verborragia característica e olha para o País

MARIA EUGÊNIA DE MENEZES, O Estado de S.Paulo

06 Julho 2012 | 03h09

Para conseguir dizer o que queria, Michel Melamed preferiu abrir mão das palavras. Em Adeus à Carne ou Go To Brazil, espetáculo que estreia amanhã, o ator e diretor surge distanciado da intensa verborragia que sempre caracterizou sua obra. "Não foi uma decisão deliberada. Mas, durante o processo, me pareceu que não ter um texto era a melhor maneira de abrir o trabalho para múltiplas leituras", comenta o artista.

Desta vez, o olhar ácido de Melamed se volta para o Brasil. Questões prementes da contemporaneidade atravessam a encenação: a truculência da sociedade, a violência, o individualismo exacerbado, os fenômenos de comunicação de massa.

Mas não se pretende que o público receba um discurso unívoco que amarre todos esses temas. "Minha intenção é sempre levar o espectador a fazer a síntese. Servir como estímulo a sua imaginação", define.

A despeito do novo território que demarca, a criação tem vínculo com seus trabalhos anteriores, especialmente com o mais recente deles. Seewatchlook (2011), que foi encenado em Nova York, já surgia como um prenúncio da ausência de texto e da valorização dos elementos não verbais.

Com apelo para linguagens como a dança, a performance e as artes plásticas, a proposta atual guarda lastro da tradição recente das artes cênicas, em especial da visualidade acurada do norte-americano Robert Wilson.

Para construir sua reflexão sobre o Brasil, Melamed vai evocar um de seus símbolos maiores: o carnaval. A festa popular, neste caso, não surge como metáfora de nada. Mas como forma a ser apropriada. "Outras artes, como a música, se relacionam de forma muito mais estreita com o carnaval. Minha intenção era ampliar o trânsito entre o sambódromo e o palco. São manifestações tão próximas, não faz sentido que não se trate mais desse vínculo", comenta o diretor.

Munido dessa visão, ele trouxe para a montagem uma forma de organização que é própria dos desfiles das escolas de samba. O elenco, que além de Melamed reúne nomes como Alessandra Colasanti, Bruna Linzmeyer e Giselle Motta, apresenta-se em um cenário formado por seis pistas verticais.

Será aí que cada uma das cenas surgirá como se fosse uma ala: a comissão de frente, o carro abre-alas, a velha-guarda.

ADEUS À CARNE OU GO TO BRAZIL

SESC SANTANA

AV. LUIZ DUMMONT VILLARES, 597

11 2971-8700

SEXTA E SÁBADO, 21h; DOMINGO, 18h

R$ 24.

ATÉ 19/8

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.