Michael Jackson terá de pagar R$ 475 mil a escritório

Cantor recebe ordem por honorários relativos aos casos em que é julgado por pedofilia

Efe,

17 de julho de 2007 | 17h31

Um juiz de Los Angeles ordenou que o cantor americano Michael Jackson pague US$ 256 mil (R$ 475 mil) ao escritório de advocacia Ayscough & Marar, pelos honorários relativos aos casos em que é julgado por pedofilia, informaram nesta terça-feira, 17, fontes judiciais.  A ordem judicial se deve a uma demanda apresentada contra Jackson pelo escritório, que o acusa de falta de pagamento de honorários. Em 2005, o artista foi julgado por 10 acusações criminais, que incluíam supostos abusos sexuais de um menor de 14 anos, cometidos entre fevereiro e março de 2003. Jackson foi absolvido sem ser julgado. O escritório também defendeu o cantor no caso em que foi processado pelo ex-conselheiro Marc Schaffel, que lhe acusou de descumprimento de contrato, em 2006. Na época, um júri de Los Angeles decidiu que o astro deveria pagar a seu ex-conselheiro um total de US$ 900 mil (R$ 1,8 milhão).  

Tudo o que sabemos sobre:
Michael Jackson

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.