Michael J. Fox emociona em seu último ´Spin City´

Depois de quatro anos em uma das séries de TV mais viciantes, o veterano/jovem ator de 38 anos Michael J. Fox, está deixando a comédia Spin City para lutar contra o Mal de Parkinson. Fox também pretende passar mais tempo com a família e, esperançosamente, encontrar uma cura para a doença que o debilita. Nessa quarta-feira, 24 de maio, o emocionante capítulo de uma hora vai ao ar nos Estados Unidos.Quando o ator iniciou seu estrelato em Hollywood, em 1985, com Um Garoto do Futuro, fazia desde 1982 seu primeiro seriado de sucesso, Caras e Caretas. Na série, uma comédia que fez sucesso em diversos países, era apresentada uma família na qual os pais tinham um espírito jovem e moderno, e os filhos - entre os quais estava o personagem de Fox, Alex P. Keaton - eram antiqüados e caretas. O ator chegou a ganhar três Emmys pela sua atuação na série. Depois dos sucessos com a trilogia De volta para o Futuro, Fox passou a atuar discretamente, em filmes muito menos rimbombantes que os anteriores. Spin City, que começou em 1996 e conta as maluquices que acontecem dentro da prefeitura de Nova Iorque (Fox é assessor do prefeito), passou a ser o centro de suas atividades. Durante esses anos, outro sucesso que Fox teve foi somente "sonoro": ele era a voz do ratinho Stuart, no filme O Pequeno Stuart Little, de 1999.A série Spin City, no entanto, foi praticamente feita para Fox. Após muita controvérsia sobre o que aconteceria com a saída do ator, a rede ABC - que produz o seriado -, decidiu manter o programa mesmo assim. Ainda que não esteja entre os 20 preferidos pela audiência americana (no final da última temporada o seriado estava no 37º lugar), a rede ABC recebe diariamente emails de milhares de fãs pedindo a continuidade do programa, desde que Fox anunciou sua saída. No lugar de Fox entrará o ator Charlie Sheen - que declarou à imprensa americana que seu personagem será "um tipo de John F. Kennedy".Final - O último capítulo de Spin City é praticamente um reflexo da vida pessoal de Michael J. Fox. O prefeito (Barry Bostwick) se envolve num escândalo envolvendo uma arruaça financeira. Mas em vez de deixar o prefeito e sua equipe levar a culpa, Mike (Fox) se concerne de que ele deve ser a pessoa a desistir e dar a cara à tapa. A decisão de deixar Spin City é uma mágoa tão grande para Mike, como certamente é também para o ator.Durante os acontecimentos mais tristes, Mike e Caitlin (Heather Locklear) finalmente fazem sexo, e há momentos realmente inspirados entre Mike e seu terapeuta - Michael Gross no papel, quem interpretou o pai de Fox por sete anos em Caras e Caretas.Também não faltou espaço para um monte de corações partidos e olhos lacrimejantes. As cenas são abertamente as mais pessoais de toda a série. Percebe-se que o elenco todo deseja verdadeiramente a boa recuperação de Fox.A imprensa americana especializada conta que quando houve o primeiro encontro do elenco sem Mike, todos pareceram perdidos. Ninguém sabia ao certo o que fazer ou o que aconteceria dali para frente. Paul (Richard Kind), daquele jeito que oscila entre o nerd emotivo e o amigo irônico, diz sobre a ausência de Mike: "Ele é o nosso líder". Sabe-se que Paul também falava sobre Michael J. Fox, o bravo ator, e não somente sobre Mike Flaherty, assessor do prefeito de Nova Iorque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.