MHN destaca a cultura negra em exposição

O Museu Histórico Nacional (MHN) abre nesta terça-feira, em comemoração ao Dia Nacional da Consciência Negra, a exposição Para Nunca Esquecer: Negras Memórias - Memórias de Negros, um expressivo paínel da cultura afro-brasileira, responsável direta pela construção da identidade nacional do País. A festa de abertura da mostra irá contar com a presença do Ministro da Cultura Franciso Weffort e do presidente da Fundação Palmares, Carlos Moura. A curadoria é de Emanoel Araujo, escultor e diretor da Pinacoteca de São Paulo.A exposição reúne 500 obras, entre quadros, esculturas e objetos os mais variados, identificados todos como signos da cultura afro-brasileira. Entre os grandes nomes que figuram no catálogo, estão Aleijadinho, Mestre Valentim, Ronaldo Rêgo, Agnaldo Manoel dos Santos, Rubem Valentim, Mestre Didi, Estevão Silva, Heitor dos Prazeres, Artur e João Timóteo da Costa, Benedito José Tobias, Debret, Von Martius, Rugendas, Hélio Oliveira, Otávio Araújo, Pierre Verger, Mario Cravo Neto, Maureen Bisilliat, Walter Firmo e André Cypriano. Para Nunca Esquecer: Negras Memórias - Memórias de Negros - De terça a sexta, das 10h às 17h, e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 17h, no Museu Histórico Nacional (Praça Marechal Âncora, s/no. Centro, Rio de Janeiro) Informações: (21) 2550-9242/9243.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.