Meus sais!

Da série Poesia Numa

VERISSIMO, O Estado de S.Paulo

11 de agosto de 2013 | 11h01

Hora Dessas?!)

'DE MANHÃ'

Então está combinado:

tomaremos, juntos, o café

matinal.

Pães, café ou chás aromáticos

(ovos quentes seriam

simpáticos)

mel, geleias e iogurte natural.

Você prefere torradas?

Manteiga, biscoitos sortidos?

Quem sabe uns embutidos?

Tiras de bacon crispadas?

Um croissant, talvez um suco?

Só falta saber agora

se, chegada a hora,

te telefono ou te cutuco.

***

'TEMPOS'

Bons tempos eram aqueles tempos em que a gente dizia "bons tempos..." mas não doía tanto.

***

'TEMOR'

O temor no Vaticano

é que esse papa castelhano

mas sobretudo franciscano

sendo soberano

mais ano, menos ano

num gesto insano

venda tudo e com um abano

de tudo aos pobres e vá viver

num cano

romano

deixando a Igreja na mano

sem seu luxo palaciano

e num aperto espartano.

Pois para ele todo pobre é

"hermano"

e todo o mundo é humano.

Até gay.

***

'REINVENÇÕES'

Deu no jornal que estão experimentando um novo tipo de computador que dispensará mouses e teclados. Não li toda a matéria, mas suspeito que estão reinventando a linguagem de sinais. Qualquer dia anunciam a volta dos sinais de fumaça, e vamos começar tudo de novo. Quando chegarem no telefone preto com disco, me avisem.

***

'AUTOBIOGRAFIA'

A senhora marquesa acha que sua vida, tão cheia de sobressaltos, se não deu em mais nada, deu num pequeno poema autobiográfico:

Meus sais!

Meus cristais!

Ah, meus ais...

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.