Mensagens de amor

Quando Herbert Vianna mostra aos Paralamas uma composição muito íntima, a resposta dos colegas é sempre a mesma: "Essa não dá pra gente. Melhor oferecer a uma de suas cantoras...". Depois de tantos anos, o tradicional endosso das vozes femininas a Herbert já entrou para o folclore do grupo. Não por acaso, suas canções mais sensíveis, chamadas pelo próprio líder da banda de "vômitos emocionais", foram adotadas por algumas das principais intérpretes brasileiras.

BOLÍVAR TORRES , ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2012 | 02h09

Herbert, entretanto, sempre acalentou a ideia de se reapropriar deste material, dando uma roupagem própria. E finalmente levou a cabo o projeto com Victoria. Recém-lançado, ele traz um Herbert minimalista, interpretando com voz e violão - e discretos acompanhamentos - 20 composições gravadas, originalmente, por cantoras.

"As mulheres têm sintonia com a carga emocional que eu coloco nas canções", diz Herbert em seu pequeno estúdio no Jardim Botânico, onde o disco foi concebido com o produtor Chico Neves. "São composições que consegui articular com mais sensibilidade e que acabaram não se encaixando nos projetos dos Paralamas."

Figuras femininas passeiam pelas 20 faixas do disco, na maioria canções de amor. Uma destas figuras se destaca: Victoria Lucy Needham Vianna, mulher de Herbert, morta no acidente aéreo de 2001, que deixou o compositor em coma por 44 dias. O título do álbum é, obviamente, uma homenagem a ela. "O disco levou dois anos para ser finalizado. O título só veio no último momento. Quando acabamos, me dei conta de que o nome sintetizaria o espírito do projeto."

Desde o acidente, Herbert tem dificuldade de se lembrar de fatos recentes, mas a memória do passado é perfeita. Talvez por isso tenha se lançado em projetos nostálgicos, nos quais revisita antigos trabalhos.

Em Victoria, cada faixa remete a episódios afetivos como quando sua mulher, grávida do primeiro filho, lhe perguntou "se o crescimento da barriga iria distanciá-los". Herbert respondeu compondo os versos de Só pra te Mostrar: "Não quero nada/ Que não venha de nós dois". Conhecida na voz de Daniela Mercury, a música ganha uma doçura complementar no violão de Herbert. Na entrevista, o compositor lembra de quando ficou insistindo para que Marina Lima desse uma chance a Nada por Mim, que se tornou um dos grandes sucessos da cantora.

No repertório, há uma curiosa faixa inédita: Penso em Você, primeira composta por Herbert, quando ainda era estudante em Brasília. "Fiquei em 3.º lugar num concurso e nunca mais fiz nada com a música. Hoje, posso recuperá-la com mais maturidade."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.