"Memórias" traz pesquisas fotográficas

A exposição Memórias, que aCasa de Fotografia Fuji inaugura na noite desta quinta-feira,para convidados, propõe um diálogo entre três pesquisas bastantepessoais, mas que têm em comum um desejo de resgatar elementossubjetivos, afetivos, relacionados com o passado, com emoçõesdifíceis de transpor para a linguagem fotográfica. Normalmenteassociada ao registro da realidade, a fotografia adquire umaoutra dimensão nas mãos de Arnaldo Pappalardo, Luise Weiss ePedro Lobo.Em seu trabalho, Pappalardo resgata imagens que lhe foramlegadas por seu tio-avô Nicolino, feitas em lugares distantescomo o Líbano e Israel, construindo com elas composições queparecem uma espécie de diário de viagem afetivo. Luise Weisstambém intervém artisticamente sobre antigas fotos de família,dando continuidade à pesquisa que desenvolve em busca de suasorigens, tentando reconstruir a biografia da família, destruídapela perseguição nazista.Pedro Lobo, por sua vez, usa as imagens para promover um resgateafetivo de seus primeiros anos de vida, quando viveu emBudapeste (Hungria). "É a fotografia desenhando um passadosobre o qual quase nada se sabe - um misto de suas própriaslembranças com o relato de seus pais", escreve a curadora,Rosely Nakagawa. Serviço Memórias. De segunda a sexta, das 9 às 19 horas; sábado, das 12às 17 horas. Casa da Fotografia Fuji. Avenida Vereador JoséDiniz, 3.400, tel. (11) 5091-4077. Até 8/8. Abertura às 19h30para convidados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.