Memorial festeja centenário de Pablo Neruda

Em julho, o governo do Chile iniciou o ano de comemorações do centenário de nascimento do poeta Pablo Neruda, que se espalharam por mais de cem países. No Brasil, os eventos culminaram em São Paulo, onde ocorre agora a Semana Nerudiana no Memorial da América Latina. Sob a curadoria do também poeta Thiago de Mello, amigo fraterno do escritor chileno, uma exposição de documentos, fotos e livros Neruda, com raras edições, será aberta hoje. Ao mesmo tempo, o público poderá acompanhar obras criadas por seis artistas plásticos, que se inspiraram em poemas do chileno. Hoje, às 19 horas, começa uma mesa-redonda sobre a vida e obra do escritor, com participação, além de Mello, de Carlos Nejar, Olga Savary, José Mindlin e Silva Poblete de Castro. "Não se pode perder esta festa do amor", empolga-se Mello. "Que de amor e por amor viveu o poeta, que escreveu para servir à vida do homem, inaugurando esperanças, repartindo a ternura, de palavra ardente quando se erguia para defender tudo o que fere e mancha a grandeza da condição humana." A série de homenagens continua amanhã, às 20 horas, quando começa o concerto que o pianista Amaral Vieira compôs a partir da obra Poemas de Amor e Uma Canção Desesperada. Ele será acompanhado pela soprano Eloisa Baldin. No mesmo dia, um jogral formado por personalidades do mundo cultural vai declamar poemas sob a coordenação de Thiago de Mello. Entre os convidados, estão o bibliófilo José Mindlin, o ator Sérgio Viotti, o diretor-presidente da Fundação Padre Anchieta, Marcos Mendonça, e outros. Na sexta-feira, às 20 horas, ocorre a apresentação do pianista chileno Alexandros Jusakos e, fechando a programação, o grupo Os Rouxinóis de Itatiba vai cantar composições alusivas ao poeta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.