Memorial da América Latina homenageia Carmen Miranda

As gerações mais novas têm tido poucos motivos para se orgulhar de um ator brasileiro, quando este faz pequenas participações mudas em filmes americanos. Porém, acaba-se esquecendo que, há muito tempo, Carmen Miranda ganhou status de estrela lá fora, fazendo sucesso em Hollywood, musicais na Broadway, além de ter gravado mais de 300 canções. Ok, ela nasceu em Portugal. Mas veio para o Brasil com menos de 1 ano e era, sim, "coisa nossa". Pois agora, depois de passar pelo Rio de Janeiro, chega ao Memorial da América Latina uma grande exposição em sua homenagem. Carmen Miranda Para Sempre traça uma grande retrospectiva de sua vida, carreira, família e influências. O visitante que for ao Memorial a partir da próxima quarta-feira entrará em contato com quase 700 peças, entre trajes, jóias, partituras, discos, artigos de jornais, capas de revistas e fotos da atriz. Um dos muitos destaques do evento é a famosa série de fotografias de Carmen clicadas pela alemã Annemarie Heinrich. A exposição se divide em dois grandes núcleos: Brasil e Estados Unidos. No brasileiro, percebe-se a influência de certos personagens na carreira da atriz, como a irmã Aurora e o Bando da Lua. No mesmo núcleo, imagens de lugares freqüentados por Carmen recriarão o Rio de Janeiro dos anos 1930. Na seção americana, as atenções se voltam para as produções em Hollywood e na Broadway, como Uma Noite no Rio, de 1941, com ela e Don Ameche. Memorial da América Latina - Galeria Marta Traba. Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664, metrô Barra Funda, 3823-4600. 9h/20h (fecha 2.ª). Grátis. Até 16/4.

Agencia Estado,

03 de março de 2006 | 15h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.