Memorial da AL mostra o México por Juan Rulfo

O mexicano Juan Rulfo é sempre lembrado por possuir uma produção literária curta e concisa, porém brilhante. Autor de Pedro Páramo, tida por Carlos Fuentes como a "melhor novela mexicana de todos os tempos", Rulfo influenciou escritores como Gabriel García Márques, que afirmou que nada teria escrito senão tivesse lido sua obra.Já a produção fotográfica de Rulfo conta com mais de 7 mil negativos e revela um profundo conhecimento dos problemas e costumes de seu povo. Apesar da qualidade e do valor de seu trabalho, essa sua faceta permaneceu até pouco tempo desconhecida mesmo no México. No Brasil, nem mesmo sua literatura é conhecida do grande público. Com o objetivo de revelar a genialidade do escritor e divulgar sua produção, no sábado o Memorial da América Latina abre a exposição Juan Rulfo Fotógrafo e promove também uma mesa redonda Juan Rulfo: Imagens e Signos, às 11 horas. Para falar do escritor, foram convidados o arquiteto mexicano Victor Jimínez, presidente da Fundação Juan Rulfo, e dos especialistas brasileiros José Amálio Pinheiro e Simone Montoro.Compondo a exposição, estão 96 imagens em preto-e-branco. Apesar de se tratar de uma pequena amostra de sua vasta produção, as fotografias são suficientes para revelar a preocupação que Rulfo teve por pelo menos 30 anos: procurar entender histórica e etnograficamente a complexa cultura mexicana. Para isso, ele iria ter como referência as vanguardas artísticas e científicas que se destacaram após as duas primeiras décadas do século 20. Pensando nisso, Rulfo flagrou de típicas cenas dos campo e do trabalho de camponeses mexicanos à arquitetura e a vida urbana. O fotógrafo também soube aproveitar a efervescência cultural mexicana na década de 30, quando o país serviu de locação para filmagens de vários longas, entre eles, os de Buñuel, e registrou o dia-a-dia dos sets e o trabalho dos diretores.México: Juan Rulfo Fotógrafo. De terça a sexta, das 10 às 16 horas; sábado e domingo, das 10 às 18 horas. Memorial da América Latina - Galeria Marta Traba. Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 664, em são Paulo, tel. (11) 3823-4705. Até 15/7. Abertura no sábado, às 12 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.