Mélanie, magnífica em O Concerto

Doze é Demais 2

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

14 de maio de 2012 | 03h07

16H05 NA GLOBO

(Cheaper By The Dozen 2). EUA, 2005. Direção de Adam Shankman, com Steve Martin, Bonnie Hunt, Carmem Electra, Hilary Duff, Eugene Levy, Tom Welling.

Na sequência do sucesso de 2003, Steve Martin retorna com a mulher (e os filhos) para o acampamento de férias em que o casal começou sua relação, na juventude. Lá reencontra um antigo colega, Eugene Levy, e ambos se envolvem numa disputa para ver quem é o melhor. Leonard Maltin, em seu guia de filmes, não exagera ao definir o humor do cartaz da Globo como 'depressivo'. As melhores cenas - as únicas boas? - são as que mostram Levy tentando reconquistar a mulher. Reprise, colorido, 94 min.

Assassino a Preço Fixo

22H20 NA GLOBO

(The Mechanic). EUA, 2010. Direção de Simon West, com Jason Statham, Ben Foster, Donald Sutherland, Mini Anden, Tony Goldwyn, Jeff Chase.

Remake do thriller homônimo de Michael Winner, com Charles Bronson e Jan-Michael Vincent, de 1972. Jason Statham faz assassino profissional que toma sob sua proteção garoto talentoso. Ensina-lhe tudo o que sabe e, de repente, o jovem está no seu encalço, contratado que foi para dar cabo de seu mentor. Statham talvez seja o maior astro da atualidade. Ponha este homem para lutar e você não conseguirá desgrudar o olho dele. Reprise, colorido, 93 min.

Big Alma: a vida de Alma Mahler - 1ª Parte

0 H NA CULTURA

(Big Alma). Áustria, 2007. Direção de Susanne Freund.

A socialite vienense Alma Maria Mahler Gropius Werfel foi, sucessivamente, mulher do compositor Gustav Mahler, do arquiteto Walter Gropius e do escritor Alfred Werfgel. O que ela tinha de tão especial para atrair homens que foram influentes nas grandes transformações artísticas do final do século 19 e início do 20? O documentário de Suzanne Freund tenta dar conta dessa personalidade única. Inédito, colorido, preto e branco, 44 min.

Boleiros - Era Uma Vez o Futebol...

2H10 na GLOBO

Brasil 1998. Direção de Ugo Giorgetti, com Adriano Stuart, Flávio Migliaccio, Otávio Augusto, Cássio Gabus Mendes, Rogério Cardoso, João Acaiabe.

Antigos profissionais do futebol frequentam bar. Entre uma cerveja e outra, lembram jogadores e jogos, ativam a memória - e se mantêm vivos. Todas as qualidades do cinema de Ugo Giorgetti - minimalismo cênico, diálogo enxuto, elenco preciso. O episódio que envolve Paulinho Majestade vale sozinho como demonstração do que deve ser o cinema, segundo Giorgetti. Veja e confirme que belo ator era Adriano Stuart, que morreu há pouco. Reprise, colorido, 90 min.

TV Paga

O Concerto

14H30 NO TELECINE CULT

(Le Concert). França/Romênia, 2009. Direção de Radu Mihailenau, com Aleksey Guskov, Mélanie Thiérry, Dmitri Nazarov, François Berléand.

O autor de Trem da Vida, em que judeus se disfarçam como nazistas para tentar fugir do Holocausto, arma nova história singular. Músico que foi rebaixado a varredor intercepta ligação convidando a orquestra do Teatro Bolshoi a se apresentar em Paris. Com amigos que também caíram em desgraça no regime comunista, ele forma orquestra e se apresenta no Théâtre Chatêlet. E ainda aproveita a ida à capital francesa para se aproximar da filha, cuja existência desconhecia. Um belo filme e a cena do concerto para violino de Tchaikovski - com Mélanie Thiérry, a atriz de Quentin Tarantino em Bastardos Inglórios, como solista - é de cortar o fôlego. Você pode ver e rever a cena, como clipe de 13 min, no YouTube. É admirável. Reprise, colorido, 123 min.

Bufo & Spallanzani

22 H NO CANAL BRASIL

Brasil, 2000. Direção de Flávio Tambellini, com Juca de Oliveira, José Mayer, Tony Ramos, Isabel Guéron, Zezé Polessa, Gracindo Jr., Maitê Proença, Matheus Nachtergaele, Dirce Migliaccio, Celso Frateschi.

Baseado em romance de Rubem Fonseca, com roteiro assinado por Patrícia Melo, o filme conta a história de suspeito de assassinato, mas a história complicada envolve corrupção política e empresarial, veneno de sapo e um policial íntegro que se recusa a aceitar a versão oficial que favorece os poderosos. O filme é benfeito, bem interpretado - talvez benfeito demais. A principal crítica que se pode fazer a Tambellini é que, como diretor, ele tem cabeça de produtor e prefere arriscar pouco. Reprise, colorido, 96 min.

A Honra do Poderoso Prizzi

1 H NO TCM

(Prizzi's Honor). EUA, 1985. Direção de John Huston, com Jack Nicholson, Kathleen Turner, Anjelica Huston, Robert Loggia, William Hickey.

Quem viu Anjelica Huston em Caminhando com o Amor e a Morte, dirigida por seu pai, John, em 1968, jamais poderia antecipar a extraordinária atriz em que ela se transformou. Este filme é a prova, um presente de pai (John, de novo) para filha, e Anjelica ganhou o Oscar de coadjuvante pelo papel. Assassino a soldo da Máfia se envolve com mulher que guarda segredo. Um delicioso thriller de humor negro que também é estudo de personagens, com base em livro de Richard Condon (adaptado pelo autor). Reprise, colorido, 129 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.