Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Reuters
Reuters

Mel Gibson vai cumprir liberdade condicional por 3 anos

Acusado de agredir namorada, ator também fará curso de orientação psicológica por 52 semanas

Efe,

12 de março de 2011 | 01h27

LOS ANGELES - O ator americano Mel Gibson decidiu nesta quinta-feira, 10, não contestar as acusações da procuradoria de Los Angeles sobre violência doméstica contra sua ex-namorada Oksana Grigorieva e fez um acordo extrajudicial para cumprir liberdade condicional por três anos.

 

O ator terá de completar um curso de orientação psicológica de 52 semanas para controlar seus ataques de ira, como parte do acordo aceito pela juíza Stéphanie Sautner, do condado de Los Angeles, informa a imprensa local.

 

Simone Shay, membro da acusação, explicou que o acordo extrajudicial foi aceito para "minimizar o trauma e o impacto de qualquer processo para a vítima e suas testemunhas".

 

Blair Berk, advogada defensora de Gibson, afirmou que estava de acordo com o pacto porque ele se alinha ao "melhor interesse de seus filhos". Um hipotético julgamento provavelmente iria exigir a presença de Lucia, filha de Gibson e Oksana, para depor como testemunha relacionada no incidente. Gibson deverá cumprir 16 horas de serviço comunitário com a organização Mending Kids e pagar multas de US$ 580. 

 

O ator é acusado de agressão contra Oksana em sua residência de Malibu, em janeiro de 2010. Ele confessou ter batido na ex-namorada para evitar que ela machucasse a filha Lucia enquanto o casal discutia.

 

"Bati uma vez com a mão aberta em uma tentativa de devolvê-la à realidade", disse o ator em seu depoimento. "Não bati forte. Só tentava fazer com que ela parasse de gritar e de movimentar Lucia de um lado para o outro", acrescentou.

Tudo o que sabemos sobre:
Mel GibsonOksana Grigorieva

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.