Médico é declarado culpado por morte de Michael Jackson

O médico pessoal de Michael Jackson foi considerado culpado nesta segunda-feira de homicídio culposo na morte do "rei do pop".

REUTERS

07 de novembro de 2011 | 19h30

O doutor Conrad Murray havia se declarado inocente da acusação de ter dado uma dose fatal do poderoso anestésico propofol, o que foi considerado como a principal causa da morte do cantor, em 25 de junho de 2009.

Promotores argumentaram durante o julgamento de seis semanas que Murray foi negligente na administração do propofol para ajudar Jackson a dormir, enquanto ele se preparava para uma série de shows.

Os advogados de defesa disseram que o cantor havia tomado por conta própria a dose fatal do propofol.

(Reportagem de Alex Dobuzinskis e Jill Serjeant)

Tudo o que sabemos sobre:
GENTEMURRAYCONDENA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.