Médico atrasou pedido de socorro

Médico atrasou pedido de socorro

O médico pessoal de Michael Jackson, Conrad Murray, parou as tentativas de reanimação que realizava no cantor horas antes de sua morte e atrasou a ligação aos serviços de urgência para recolher e separar os remédios presentes no quarto, segundo a imprensa americana. Murray foi acusado formalmente em fevereiro de homicídio involuntário pela morte do Rei do Pop, e permaneceu em liberdade após o pagamento de uma fiança, à espera do julgamento, que começará no dia 5 de abril, em Los Angeles. A autópsia confirmou que a causa da morte de Michael, no dia 25 de junho de 2009, foi intoxicação aguda por remédios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.