McQueen de volta ao inferno

O Diário de Uma Babá

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

24 Julho 2012 | 03h09

15H50 NA GLOBO

(Nanny Diaries). EUA, 2007. Direção

de Shari Springer Berman e Robert Pulcini, com Scarlett Johansson,

Donna Murphy, Chris Evans, Laura Linney, John Henry Cox, Alicia Keys.

A dupla de diretores de Anti-herói Americano (com Paul Giamati) adapta o livro de Emma MacLachlin e Nichola Kraus ba-

seado na experiência das duas como babás de crianças mimadas (e mãe estressadas). Scarlet Johansson faz a garota que se ocupa do filho de Laura Linney. A mãe não tempo nem qualquer afinidade com o garoto. Diretores, elenco, tudo é bom, mas o filme é só... médio. Reprise, colorido, 106 min.

Robocop 2

22H45 NO SBT

(Robocop 2). EUA, 1990. Direção de Irvin Kershner, com Peter Weller, Nancy Allen, Dan O'Herlihy, Belinda Bauer, Tom Noonan.

No segundo filme da série, após o 1 - de Paul Verhoeven -, o todo-poderoso dirigente da organização que domina Detroit une-se ao traficante Tom Noonan para destruir o tira biônico. A ideia é construir outro ciborgue, maior e mais forte, para escravizar a população. Kershner foi um grande diretor - de filmes tão diferentes entre si quanto Sublime Loucura e O Retorno

de Jedi, mas este não é um de seus melhores trabalhos e, na época, foi considerado muito violento. Reprise, colorido, 82 min.

As Quatro Estações

0 H NA CULTURA

(Four Seasons, The History of a Hit). Alemanha, França, 2012. Direção de Philippe Beziat.

A série de quatro concertos para violino e orquestra do compositor italiano Antonio Vivaldi é uma das peças mais conhecidas - e amadas - da música barroca. Os quatro vinham acompanhados por um soneto ilustrativo impresso na parte do primeiro violino, cada um sobre o tema da respectiva estação. Não se sabe a origem ou autoria dos poemas, mas sempre houve especulações de que o próprio Vivaldi os tivesse escrito. Reprise, colorido, 52 min.

TV Paga

Ladrões de Bicicletas

14 H NO TCM

(Ladri di Biciclete). Itália, 1948. Direção de Vittorio De Sica, com Lamberto Maggiorani, Enzo Staiola.

Clássico neorrealista sobre pai e filho que procuram em Roma a bicicleta do primeiro, que foi roubada. De Sica tem sido contestado - pieguice, miserabilismo. Seu filme é maior que os detratores. Reprise, preto e branco, 84 min.

Diários de Motocicleta

19H40 NO TELECINE CULT

(Motocycle Diaries). Inglaterra, 2004. Direção de Walter Salles, com Gael García Bernal, Rodrigo de la Serna, Mercedes Morán.

É bom (oportuno) que Diários volte à TV paga no momento em que o novo Walter Salles, Na Estrada, está em cartaz nos cinemas. Ambos são road movies. Na Estrada baseia-se no livro cult de Jack Kerouac, Diários reconstitui a viagem que o jovem Ernesto Guevara fez pela América Latina antes de se converter no Che. Na verdade, foi o contato com a sofrida realidade do continente que fortaleceu nele o desejo de mudar o mundo. Ambos os filmes são muito bons, e partem de pressupostos conceituais sólidos. Os garotos de On the Road, o idealista Ernesto estão na estrada fazendo suas viagens iniciáticas. Serão mitos mais tarde. Quem acusa Salles de sem rumo é que está fora da estrada. Reprise, colorido, 131 min.

Fugindo do Inferno

1H05 NO TCM

(The Great Escape). EUA, 1963.

Direção de John Sturges, com Steve McQueen, James Garner, Richard

Attenborough, Charles Bronson,

James Coburn, David McCallum,

Donald Pleasence, James Donald, Hannes Messemer.

Conhecido por seus westerns,

o diretor Sturges sempre divi-diu os puristas do gênero, que, como observa Jean Tulard, no seu Dicionário de Cinema, têm toda liberdade de preferir Delmer Daves e Anthony Mann. Mas Sturges foi grande, e não somente no bangue-bangue. Esta eletrizante aventura de guerra, sobre a fuga em massa de prisioneiros aliados de um campo dos nazistas, fez grande sucesso na época e não perdeu nada de sua força com o tempo. Confinamento, preparativos, fuga, prisão de novo (para alguns - muitos?) O elenco, a trilha, tudo contribui para a aura, mas é Steve McQueen, no lombo da motocicleta, que permanece no imaginário do espectador. Reprise, colorido, 168 min.

Os Condenados

4H30 NO CANAL BRASIL

Brasil, 1973. Direção de Zelito Vianna, com Isabel Ribeiro, Cláudio Marzo, Roberto Bataglin, Nildo Patrente, Elsa Gomes, Rose Lacreta, Antônio Pedro.

Antonio Candido vê na influência de David W. Griffith - as sequências 'cinematográficas' - a gênese do roman-fleuve do modernista Oswald de Andrade, que se constrói por meio de três romances articulados sobre uma unidade de temas, personagens e estilo - Alma, A Estrela de Absinto e A Escada. A história do filme passa-se no bordel, quando a prostituta Alma lê o diário do ex-amante, que relata a vida infeliz de ambos, uma sucessão de desgraças que ilustra a condenação do título. O diretor Zelito Vianna produziu grandes clássicos do cinema brasileiro - Terra em Transe, de Glauber Rocha. Este é seu filme mais famoso - o melhor? -, fez público reduzido na época (15 mil espectadores), mas a interpretação antológica de Isabel Ribeiro pede re-visão. Reprise, colorido, 81 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.