McQueen, 80 anos hoje e com atração no TCM

McQueen, 80 anos hoje e com atração no TCM

Pode ser mera coincidência, mas comemoram-se hoje os 80 anos de nascimento de um dos maiores astros da tela, Steve McQueen. Ele morreu em novembro de 1980, aos 50 anos. Deixou a marca de uma personalidade inconfundível. Porte atlético, gestos elegantes, McQueen foi, nos anos 1960 e 70, o que é hoje George Clooney em Hollywood - uma imagem de virilidade e liberalismo.

Luiz Carlos Merten, O Estadao de S.Paulo

24 de março de 2010 | 00h00

A data, coincidentemente ou não, não vai passar em branco. O TCM exibe, às 10 da noite, Os Implacáveis, de 1973. O filme foi o segundo que McQueen fez com o diretor Sam Peckinpah, após Dez Segundos de Perigo (Junior Bonner), no ano anterior. No imaginário do público, o astro era sempre associado ao movimento. Corridas de moto em Fugindo do Inferno, de John Sturges; de carro em Bullitt, de Peter Yates; passeio de monomotor em Crown, o Magnífico, de Norman Jewison. McQueen amava a velocidade.

Curiosamente, com Peckinpah ele fugiu um pouco à sua imagem consagrada. Junior Bonner conta a história de um campeão de rodeios. Os Implacáveis, a de um homem que sai da cadeia porque sua mulher cedeu (na cama) a um chefão do crime e ainda o comprometeu num assalto. Ele descobre a traição. Troca bofetadas com Ali MacGraw, com quem estava casado (na vida). Ela retruca que ele teria feito a mesma coisa.

Grande diretor, Peckinpah cria uma cena emblemática para definir seus personagens e o mundo em que vivem, É a do caminhão do lixo. Os personagens de McQueen e Ali representam a escória da vida social. Será? Pois eles não apenas possuem o afeto que os redime como um conceito de honra que é forte. O próprio Peckinpah foi um diretor que viveu a vida em litígio em Hollywood, brigando com produtores pelo direito de fazer os filmes que queria, como queria.

Os astros foram seus aliados. Charlton Heston apoiou em Major Dundee, western lançado no Brasil como Juramento de Vingança. Com Steve McQueen, foram dois grandes filmes. Os Implacáveis expõe o carisma do ator e ajuda a entender por que ele é um ícone que resiste ao tempo.

O Gigante de Ferro

14H15 NO SBT

(The Iron Giant). EUA, 1999. Direção de Brad Bird.

Nos anos 1950, garoto do Maine desenvolve amizade por robô de origem desconhecida. Quando a existência da máquina é revelada, surge um agente do governo com a missão de capturá-lo (ou destruí-lo). Afinal, pode ser um ET. Embora não tenha feito muito sucesso de público nem de crítica, esta animação merece segunda chance. O diretor Bird fez depois Ratatouille, um dos maiores desenhos de todos os tempos. Reprise, colorido, 86 min.

A Herdeira da Máfia

15H45 NA GLOBO

(Crimes of Fashion). EUA, 2004. Direção de Stuart Gillard, com Kaley Cuoco, Dominic Chianese, Megan Fox, Pat Kelly, Chuck Shamata e Jill Morrison.

A emissora fez uma alteração de última hora e anuncia hoje, de novo, o filme que havia programado para ontem, no mesmo horário. Estudante de moda herda império criminoso do pai. E o que a herdeira da Máfia não sabe é que o novo colega de aula, por quem está interessada, é um agente encoberto do governo. Comédia romântica, thriller policial? O diretor Gillard mistura as duas tendências e não chega a lugar nenhum. O que pode ajudar não é nem a protagonista, mas a coadjuvante Megan Fox, de Transformers, que dá o ar da graça (e beleza). Reprise, colorido, 90 min.

Little Nicky, Um Diabo Diferente

22 H NA REDE BRASIL

(Little Nick). EUA, 2000. Direção de Steven Brill, com Adam Sandler, Harvey Keitel, Patricia Arquette, Rhys Ifans, Tom Lister Jr.

Adam Sandler faz o filho bondoso do Diabo, enviado à Terra para resgatar seus dois irmãos, que estão aprontando boas. Se não conseguir, a vítima será seu pai. O ponto de partida desta comédia é aquilo que os norte-americanos chamam de "ultrajante", mas logo o diretor Brill dilui o que há de mais provocativo no material. Mesmo assim, dá para rir um pouco com Sandler - isso, claro, se o espectador não é do tipo que detesta o estilo de humor meio bronco, meio pastelão do astro. Reprise, colorido, 84 min.

Juno

23 H NA RECORD

(Juno). EUA, Canadá, Hungria, 2007. Direção de Jason Reitman, com Ellen Page, Michael Cera, Jennifer Garner, Jason Bateman.

Diablo Cody ganhou o Oscar de roteiro e o diretor Reitman foi supervalorizado, mas esta é uma boa comédia sobre adolescente grávida, que resolve lidar sozinha com a situação, escolhendo pais adotivos para seu bebê que vai nascer. Riqueza de observação, diálogos inteligentes e uma atriz em estado de graça - Ellen Page - contribuíram para o êxito. Uma raridade - um filme teen que fala sobre responsabilidade e acredita que os jovens são capazes disso. Reprise, colorido, 96 min.

Intercine

1H55 NA GLOBO

A emissora exibe o preferido do público entre - Pecados do Passado, de Michael Stevens, com Gary Oldman, Ving Rhames e Kerri Washington, sobre policial cuja irmã é sequestrada e violentada; o caso pode estar ligado a evento que ocorreu há muitos anos; e O Leão, de Jack Cardiff, com William Holden, Trevor Howard, Capucine e Pamela Franklin, baseado no livro de Joseph Kessel, autor de A Bela da Tarde, sobre garota que se liga a leão, no Quênia, e a família teme que ela esteja virando selvagem.

Os Meninos do Brasil

2 H NA REDE BRASIL

(The Boys from Brazil). EUA, 1978. Direção de Franklin J. Schaffner, com Gregory Peck, Laurence Olivier, James Mason, Lili Palmer, Uta Hagen, John Dehner, Rosemary Harris, John Rubinstein, Denholm Elliott, Steven Guttenberg, Bruno Ganz.

Mistura de fantasia de terror e thriller político sobre caçador de nazistas que persegue Josef Mengele. O sinistro médico e cientista está escondido no Brasil, onde cria clones de Adolf Hitler, na esperança de que um de seus "meninos" consiga reconstruir o Terceiro Reich. O diretor Schaffner baseou-se no livro de Ira Levin para fazer este filme que tropeça em regras elementares de verossimilhança. Feita a ressalva, você não vai conseguir desgrudar o olho - e a luta dos velhos interpretados por Gregory Peck e Laurence Olivier é algo nunca visto no cinema de ação de Hollywood. Reprise, colorido, 122 min.

Amanhã

A Globo exibe amanhã, no Intercine, o preferido do público entre - Os Suspeitos, de Bryan Singer, com Stephen Baldwin, Gabriel Byrne, Chazz Palminteri, Kevin Pollak, Pete Postlethwaite, Kevin Spacey, sobre a polícia que prende os suspeitos habituais, quando ocorre um crime; entre eles estará o culpado (EUA/Alemanha, de 1995, fone 0800-70-9011); e Garota da Vitrine, de Anand Tucker, baseado na história escrita por Steve Martin e com o próprio ator; Claire Danes faz a garota que trabalha no departamento de luvas de uma grande loja e que fica dividida entre jovem talentoso, Jason Schwartzman, e homem mais velho que pode ajudá-la a realizar o sonho de ser atriz (EUA, 2005, fone 0800-70-9012).

TV paga

A Flor do Meu Segredo

17H55 NO TELECINE CULT

(La Flor de Mi Secreto). Espanha, 1995. Direção de Pedro Almodóvar, com Marisa Paredes, Juan Echanove, Carmen Elias, Rossy De Parma.

Almodóvar estava numa fase de transição de sua carreira, no hiato que se seguiu ao êxito espetacular de Mulheres à Beira de Um Ataque de Nervos (1988) e seu ressurgimento como artista maduro, com Carne Trêmula (1997), quando fez este filme sobre autora de romances róseos que vive crise na relação afetiva. Escondendo-se por trás de um pseudônimo e buscando refúgio na bebida, Leo vive o que parece uma situação sem saída, mas as surpresas vêm. O tema do duplo é essencial no cinema de Almodóvar e a música-título é cantada por Bola de Nieve, artista cubano de temperamento muito particular, como o próprio filme, aliás. Reprise, colorido, 100 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.