MCCARTNEY VIAGEM A HOLLYWOOD

Ex-Beatle fala sobre Kisses on the Bottom, CD em que recupera canções americanas

PIYA SINHA-ROY , REUTERS, O Estado de S.Paulo

21 de janeiro de 2012 | 03h09

Em seu novo álbum, Kisses on the Bottom, Paul McCartney empreende um retorno aos anos dourados de Hollywood. O disco, que mescla antigos clássicos com novas composições do ex-Beatle, tem lançamento previsto para o dia 7 de fevereiro.

Kisses on the Bottom ganhou esse título por conta da letra da primeira faixa do trabalho, I'm Gonna Sit Right Down and Write Myself a Letter. Nele, McCartney faz uma jornada profundamente pessoal, cantando standards da canção norte-americana que influenciaram a ele e a seu companheiro de banda John Lennon enquanto eles escreviam suas próprias músicas. "Cresci ouvindo aquilo que meu pai escutava. E, no caso de John, o que a mãe dele escutava. Quando começamos a criar canções, tudo isso também nos ajudou a criar o rock-n' roll", disse McCartney.

Ele acrescentou que a música dos Beatles Honey Pie é uma das faixas desse "retorno a Hollywood". O ex-Beatle disse que foi inspirado por alguns dos maiores atores e cantores norte-americanos, incluindo aí Frank Sinatra, Dean Martin e, especialmente, Fred Astaire. Sua voz e estilo foram uma grande referência para McCartney ao longo de sua carreira. "Fred Astaire foi um fantástico personagem daquela era. Ele parecia tão elegante. Musicalmente, seu timbre vocal era tão interessante... Ele tinha aquela voz pequena, que dava vontade de chegar perto. Então, eu tentei fazer um pouco disso e isso se tornou também um pouco da assinatura deste álbum", declarou McCartney. "Aquele foi um tempo que eu adoro. Uma época muito rica para o estilo, a música e para uma arte inteligente."

Ainda que quisesse fazer esse álbum "há algum tempo" - tanto ao longo de sua trajetória com os Beatles como durante sua carreira solo -, McCartney foi forçado a adiar o projeto depois que outros cantores britânicos, como Robbie Williams e Rod Stewart, fizeram seus próprios discos com clássicos das big bands. De acordo com o ex-Beatle, ele não queria aparecer pegando carona no movimento. "O álbum não estava indo na direção que outros estavam tomando. Então, as canções que escolhi não eram tão conhecidas como aquelas que Rod estava gravando", comentou o cantor.

McCartney se juntou ao produtor Tommy LiPuma - vencedor do Grammy ao lado de Diana Krall - para gravar Kisses on the Bottom em Londres, Nova York e nos famosos estúdios da Capitol Records, em Los Angeles. Ele selecionou algumas das suas antigas canções preferidas. Entre elas, More I Cannot Wish You, do filme musical Garotos e Garotas, e uma versão lenta da clássica Bye Bye Blackbird.

McCartney ainda cantou ao lado do lendário Stevie Wonder em Only Our Hearts, um tributo à música das décadas de 1930 e 40. Com Eric Clapton gravou também My Valentine. A faixa, uma das preferidas do músico no álbum, é uma espécie de carta de amor para a sua nova mulher, Nancy Shevell.

"O fato de estar trabalhando ao lado de grandes músicos do jazz mudou alguma coisa. Não sei exatamente o que, mas sei que é algo muito bom", observou o intérprete de Yesterday.

McCartney deu indícios de que algumas das canções do novo álbum podem fazer parte de sua participação na Olimpíada de Londres. Também disse que, se convidado, poderá estar nas festividades pelo Jubileu de Diamante da rainha Elizabeth.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.