Matisse volta a reinar em leilão de arte moderna

'Figure assise, tapis rayé' e 'Odalisca', ambas do pintor francês, foram arrematados a US$ 33 milhões

Efe,

08 de novembro de 2007 | 14h32

Uma obra do pintor francês Henri Matisse (1868-1954) foi mais uma vez a que atingiu o maior valor no leilão de arte moderna e impressionista da firma britânica Christie's em Nova York, nesta quarta-feira, 7. Figure assise, tapis rayé, que Matisse pintou em 1920, foi arrematada por US$ 3,2 milhões num leilão de 230 lotes. No total, a Christie's leiloou mais de US$ 97 milhões em obras de arte do período. Como na terça-feira, quando a obra Odalisca, também de Matisse, alcançou astronômicos US$ 30 milhões na primeira noite dedicada à arte impressionista e moderna, o pintor francês voltou a dominar a lista de obras com maior valor. Atrás dele vieram o também francês André Lhote (1885-1962) e a polonesa Tamara de Lempicka (1898-1980), cujas obras chegaram aos US$ 2,7 e US$ 2,1 milhões, respectivamente. Os três artistas superaram amplamente os preços esperados para as suas obras em leilão. A pintura de Matisse estava avaliada em US$ 800 mil a US$ 1,2 milhão. O óleo de Lhote La danse au bar, que foi a leilão com uma estimativa de US$ 300 mil a 400 mil, foi arrematada por US$ 2,7 milhões. A obra de Lempicka Le turban vert também duplicou o seu valor estimado, que era de US$ 700 mil a US$ 900 mil. Além destes nomes, também não faltaram os de outros artistas do mesmo período, como Pablo Picasso, Salvador Dalí, Pierre-Auguste Renoir, Claude Monet, Paul Cézanne, Marc Chagall, Georges Braque, Paul Signac e Camille Pissarro.  EfeFigure assise, tapis rayé foi arrematada por US$ 3,2 milhões

Tudo o que sabemos sobre:
Henri MatisseChristie's

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.