Massimo Listri/Divulgação
Massimo Listri/Divulgação

Massimo Listri expõe a arquitetura brasileira em Roma

Italiano fotografou detalhes de obras arquitetônicas do País e agora expõe contrastes com os estereótipos tropicais

EFE

30 de abril de 2014 | 11h34

O fotógrafo florentino Massimo Listri abre nesta quarta-feira, 30, sua exposição sobre a paisagem arquitetônica do Brasil por meio de 20 imagens, na embaixada do Brasil em Roma. A arquitetura clássica e moderna de quatro cidades do País – São Paulo, Rio, Belo Horizonte e Brasília – ficarão expostas na embaixada até 30 de maio.

“Naturalmente, esse estilo ‘manuelino’ é muito curioso para mim, porque estou acostumado a fotografar espaços renascentistas e barrocos”, disse Listri às agências internacionais. A expressividade das fotos se mostram especialmente nas imagens dos ambientes do século 19, de edifícios como o Gabinete de Leitura da Biblioteca Real do Rio, a Igreja da Candelária e da Igreja de Nossa Senhora do Bom Sucesso, em Belo Horizonte.

“É um Brasil insólito, uma mistura entre o barroco e o contemporâneo”, explica Listri. “Se trata de um Brasil de interiores arquitetônicos, não é Brasil que conhecemos, naturalista, da selva amazônica, do futebol, das mulheres bonitas e do carnaval”, admite. As fotos ainda tentam expor o contraste entre a essência minimalista da arquitetura brasileira moderna e os estereótipos da “sensualidade tropical”.

Listri trabalhou por mais de 20 anos para revistas, e expôs, nos últimos meses, em salas em Atenas, Cidade do México, Bolonha e Moscou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.