Masp inaugura novas exposições e faz mistério sobre segurança

O Museu de Arte de São Paulo voltaráa funcionar na próxima semana, com a reabertura para visitas naterça-feira e a inauguração de duas exposições na sexta, emmeio a mistérios sobre novas medidas de segurança após o roubode duas telas em dezembro. Uma fonte ligada ao Masp, que pediu para não ter seu nomedivulgado, afirmou, sem dar detalhes, que algumas empresasprivadas fizeram doações ao museu para a instalação deequipamentos de segurança, como alarmes ou sensores. A assessoria de imprensa não confirma a informação. Dizapenas que há novidades na segurança, mas pondera que a direçãodo museu só falará sobre o assunto na terça-feira, em umacoletiva. No último dia 20, uma tela de Picasso e outra de Portinariforam roubadas durante a madrugada, fazendo com que o museufechasse suas portas para investigações, no pior incidente em60 anos de história do Masp. A instituição, até então, não possuía alarmes e a segurançaera feita apenas com homens não armados. Após a reabertura da terça-feira, o Masp inaugura duasexposições na sexta-feira, com festa para convidados na noitede quinta. A maior delas, que irá ocupar o 1o e 2o subsolo domuseu, é sobre o artista japonês Tatsumi Orimoto, com 1.000fotografias, 160 desenhos e 10 vídeos. Na noite de quinta-feira, o artista fará uma performance naqual servirá uma refeição tradicional japonesa, preparada porele, para 50 avós da comunidade nipo-brasileira. A segunda exposição vem da Espanha e se chama "Caçadores deSombras", com 92 fotografias de 16 artistas que usaram a sombracomo mote para seus trabalhos. O Masp tem um calendário extenso para 2008, com mais outras10 exposições agendadas. Em abril, por exemplo, haverá umamostra de desenhos espanhóis do século 20, da Fundação Mapfre,que deverá trazer trabalhos de Picasso, Dalí, Tapies e outros. CÂMERAS NA RUA Enquanto o Masp faz mistério sobre seu novo esquema desegurança, outras medidas já foram tomadas para garantir pelomenos os arredores do museu. A prefeitura pôs em operação no último dia 28 cinco câmerasde longo alcance e alta resolução na avenida Paulista, endereçodo museu. Elas estão ligadas à central de monitoramento daGuarda Civil Metropolitana. Das cinco câmeras, apenas uma visualiza o Masp, embora aSubprefeitura da Sé tenha afirmado que a instalação já estavaprevista e não foi acelerada por conta do roubo. Outra providência foi tomada pela Polícia Militar, quetransformou o vão livre do Masp em estacionamento de umaviatura para atender ocorrências locais. Além da investigação da Interpol e das polícias Civil,Militar e Federal para esclarecer o roubo, o Ministério PúblicoEstadual também entrou no circuito para avaliar se o museu temcondições de funcionar sem a necessidade de uma intervenção. O MPE está estudando documentos da área contábil do Masppara levantar o tamanho da dívida da instituição, que chegou ater a energia e o telefone cortados em anos recentes por faltade pagamento. Uma avaliação dos peritos do MPE deve sair a partir dasemana que vem. O Masp se comprometeu a entregar novosdocumentos ao órgão nesta sexta-feira. (Edição de Mair Pena Neto)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.