Reprodução
Reprodução

Masp inaugura 'Deus e Madonnas - A Arte do Sagrado'

Mostra traz 40 obras-primas dos séculos 14 a 19, assinadas por El Greco, Botticelli, Tintoretto e Rafael

Marina Vaz, O Estado de S. Paulo

15 de outubro de 2010 | 06h00

O termo ‘numinoso’, criado pelo teólogo alemão Rudolf Otto (1869-1937), refere-se ao sagrado, mas sem julgamentos morais. A partir desse tema, o curador-chefe do Masp, Teixeira Coelho, organizou a mostra Deuses e Madonas - A Arte do Sagrado. A exposição reúne 40 obras-primas produzidas entre os séculos 14 e 19 e assinadas por artistas como El Greco, Botticelli, Tintoretto e Rafael. Entre as peças, está a têmpera sobre madeira ‘São Jerônimo Penitente no Deserto’ (1451), de Mantegna, que é exposta pela primeira vez no Brasil, depois de restaurada pelo Museu do Louvre, em Paris.

 

Há retratos de passagens bíblicas, como a crucificação de Cristo, pintada por Jan Van Dornicke, e personagens mitológicos, que povoam uma tela de Guercino. Os ares contemporâneos ficam por conta da instalação de Eder Santos, criada a partir de ‘O Julgamento de Páris’ (1720), de Michele Rocca. Com dois monitores LED tridimensionais e sete projetores, o artista recria o universo do mestre do rococó italiano. Mas, agora, os personagens se movem e os anjos voam pelo céu.

 

Deuses e Madonas - A Arte do Sagrado -  Masp. Av. Paulista, 1.578, 3251-5644, metrô Trianon-Masp. QUANDO: 11h/18h (5ª, 11h/20h; fecha 2ª). Até 16/1/2011. QUANTO: R$ 15 (3ª, grátis). De 15/10 a 16/01/2011.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.