Marlene, no tribunal de Billy Wilder

O Diário da Princesa

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

01 de agosto de 2012 | 03h08

15H55 NA GLOBO

(The Princess Diaries). EUA, 2001. Direção de Garry Marshall, com Julie Andrews, Anne Hathaway, Hector Elizondo, Heather Matarazzo, Mandy Moore, Caroline Goodall.

Típica jovem norte-americana descobre que é herdeira de um principado europeu. E toma lições com a avó aristocrata, que não conhecia, sobre a vida na corte (e a vida em geral). Depois de Julia Roberts em Uma Linda Mulher, o diretor Marshall dá sua primeira chance à bela Anne Hathaway, que também pode ser vista nos cinemas como a Mulher Gato de Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge. Julie Andrews é só classe como a avó compassiva. Reprise, colorido, 105 min.

Lady Jane

22 H NA CULTURA

(Lady Jane). França, 2008. Direção de Robert Guédiguian, com Ariane Ascaride, Jean-Pierre Darroussin, Gérard Meylan, Yann Trégouët, Frédérique Bonnal.

O horário da Mostra resgata outro trabalho do francês Guédiguian, que pratica no cinema o princípio do 'coletivo', trabalhando sempre com os mesmos atores (Ariane Ascaride, Jean-Pierre Darroussin, Gérard Meylan, etc.) e sobre temas políticos e sociais. Amigos de infância cresceram juntos em Marselha e se separaram. Uma tragédia na vida de Muriel (Ariane) traz de volta François e René. O que os separou antes? Marselha não é apenas cenário nos filmes de Guédiguian. A cidade portuária é também, e sempre, personagem. Reprise, colorido, 104 min.

Matadores de Aluguel

0 H NA RECORD

(Shadowboxer). 2005, EUA. Direção

de Lee Daniels, com Helen Mirren, Cuba Gooding Jr., Stephen Dorff,

Joseph Gordon-Levitt.

Antes de Preciosa - Uma História de Esperança e Paperboy, que concorreu em Cannes, este ano, o diretor Daniels fez este thriller violento sobre dupla de assassinos profissionais. Quando Helen Mirren vacila em aceitar o assassinato de uma mulher grávida, seu parceiro Cuba Gooding Jr. é chamado para resolver a parada. Leonard Maltin acerta na mosca ao dizer que o filme pouco ou nada tem a ver com a realidade. É um estiloso exercício de narração, que remete aos exemplares do cinema de ação que formataram o imaginário de Daniels. Reprise, colorido, 93 min.

TV Paga

Testemunha de Acusação

19H50 NO TELECINE CULT

(Witness for the Prosecution). EUA, 1957. Direção de Billy Wilder, com Tyrone Power, Marlene Dietrich, Charles Laughton, Elsa Lanchester.

O grande Wilder entrou para a história por suas comédias, mas deixou a marca no filme noir e até no suspense à Alfred Hitchcock (A Vida Íntima de Sherlock Holmes). Este é um dos filmes mais atípicos de sua carreira, e um dos mais admiráveis também. Baseia-se na peça de Agatha Christie, a dama do mistério. Homem é levado a julgamento, acusado de crime. A própria mulher o acusa. Surge a testemunha salvadora. O final é surpreendente e provoca uma frase clássica do juiz, interpretado por Charles Laughton. Não apenas Laughton, com sua aparência de ogro, mas Dietrich e Tyrone Power representam o que astros e estrelas podem trazer, com suas personas, para diretores inteligentes. Reprise, preto e branco, 114 min.

Susie e os Baker Boys

22 H NO TCM

(The Fabulous Baker Boys). EUA, 1989. Direção de Steve Kloves,

com Jeff Bridges, Michelle Pfeiffer, Beau Bridges, Jennifer Tilly.

Jeff Bridges e Beau Bridges, irmãos de verdade, interpretam irmãos na ficção. São músicos cuja relação (e parceria de 15 anos) é colocada à prova quando contratam nova cantora e Michelle Pfeiffer chega para seduzir (e dividir). O diretor e roteirista Kloves cria grandes cenas, mas de alguma forma o conjunto de seu filme deixa um tanto a desejar. A cena em que Michelle canta Makin' Whoopee e termina deitada sobre o piano não é só uma homenagem a Marilyn Monroe, cujos 50 anos de morte serão assinalados no domingo com uma programação especial no próprio canal TCM. Foi também a prova definitiva de que Michelle, além de bela, e sexy, é muito talentosa. Veja e comprove. Reprise, colorido, 113 min.

Trilogia de Terror

1H50 NO CANAL BRASIL

Brasil, 1968. Direção de Ozualdo

Candeias, Luiz Sérgio Person e José Mojica Marins, com Lucy Rangel,

Lima Duarte, Cacilda Lanuza, Mário Lima, Vany Müller.

É curioso que o Canal Brasil apresente hoje a trilogia de terror produzida por Antônio Pólo Galante, justamente no dia em que começa, no MIS - veja texto na página 3 -, a mostra A Boca da Boca - A Produção de A.P. Galante. Serão exibidos vários filmes do famoso produtor da Boca do Lixo, que patrocinou filmes de diretores importantes, e verdadeiros autores, como Walter Hugo Khouri (que reclamava da obsessão de Galante por bumbuns). O cartaz do Canal Brasil compõe-se de três episódios - O Acordo, Procissão dos Mortos e Pesadelo Macabro. Com exceção de Mojica Marins, o Zé do Caixão, nem Candeias nem Person eram adeptos do gênero terror. Os episódios tratam de demonismo, guerrilha e catalepsia. De volta ao ciclo do MIS, a expectativa é de que tenha mais público que a recente programação do Museu dedicada ao ator

e diretor Anselmo Duarte. Reprise, colorido, 92 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.