Marilyn, adorável como sempre

O Diabo Veste Prada

UBIRATAN BRASIL, O Estado de S.Paulo

04 de junho de 2012 | 03h09

16 H NA GLOBO

(The Devil Wears Prada). EUA, 2006. Direção de David Frankel, com Meryl Streep, Anne Hathaway, Emily Blunt, Stanley Tucci, Adrian Grenier, Tracie Thoms.

Meryl Streep, em notável interpretação, vive Miranda Priestly, editora-chefe da Runway, publicação em cujas páginas qualquer estilista se transforma em celebridade. Ela comanda a revista como uma megera, espalhando medo em todos que a cercam. É a esse ambiente que chega uma jovem jornalista (Anne Hathaway), que trata tecido como pano, mas que, a duras penas, consegue se destacar e logo se transformar na preferida de Miranda. Implacável crítica ao mundo das passarelas, o filme é a versão de um romance escrito por Lauren Weisberger (publicado aqui pela Record), que jurou não ter feito um perfil disfarçado da todo-poderosa editora da revista Vogue, Anna Wintour, mulher tão amada quanto odiada, com quem Lauren trabalhou como assistente. Verdade ou não, o que realmente importa é a diversão. Reprise, colorido, 109 min.

A Montanha Enfeitiçada

22H20 NA GLOBO

(Race to Witch Mountain). EUA, 2009. Direção de Andy Fickman, com

Dwayne Johnson, Annasophia Robb, Alexander Ludwig, Carla Gugino,

Ciaran Hinds, Tom Everett Scott.

Para proteger dois adolescentes que possuem poderes sobrenaturais, um taxista de Las Vegas entra na busca pela montanha enfeitiçada. A lenda diz que a montanha tem propriedades mágicas e fica localizada no meio do deserto de Nevada, nos Estados Unidos. Mas, além de encontrar o lugar, eles terão que enfrentar uma organização secreta e salvar o mundo. O tom parece de mistério, mas o diretor Andy Fickman gosta de fisgar o público pelo humor. Reprise, colorido, 98 min.

Leila Khaled, Sequestradora

0 H NA CULTURA

(Leila Kahled, Hijacker). Suécia, 2005. Direção de Lina Makboul.

O documentário sobre militante palestina que foi a primeira mulher a sequestrar um avião, em 1969. Como membro da Frente Popular para a Libertação da Palestina(PFLP), sua atitude movimentou a atenção da imprensa para a questão Israelo-palestina e tornou sua imagem um ícone na abordagem das ações territoriais da região. O filme passou no festival É Tudo Verdade, há seis anos, e merece uma conferida. Reprise, colorido, 58 min.

O Dia da Caça

2H20 NA GLOBO

Brasil, 1999. Direção de Alberto Graça, com Marcello Antony, Bárbara Schulz, Paulo Vespúcio, Jonas Bloch, Felipe Camargo, Roberto Bomtempo.

Rapaz que abandonou o tráfico de drogas é obrigado a buscar 30 quilos de cocaína na fronteira com a Colômbia. Na volta, descobre que foi traído e trama a vingança. Apesar de irregular, filme reproduz fórmulas de Hollywood e apresenta qualidades de produção e narrativa. Bom trabalho de Marcelo Anthony, que agora está em cartaz no teatro em São Paulo, vivendo Macbeth, de Shakespeare. Reprise, colorido, 113 min.

TV PAGA

Adorável Pecadora

11H45 NO TELECINE CULT

(Let's Make Love). EUA, 1960. Direção de George Cukor, com Marilyn Monroe, Yves Montand, Tony Randall,

Frankie Vaughn, Wilfrid Hyde-White.

Bilionário descobre que vai ser tema de um show off-Broadway e, para impressionar a estrela do espetáculo, oferece-se para fazer o próprio papel, numa reflexão sobre o matriarcado na sociedade americana. Show de astros com o habitual elegante toque do diretor George Cukor. Assim, Yves Montand toma aulas de canto com Bing Crosby, de dança com Gene Kelly e de humor com Milton Berle, tudo isso para merecer Marilyn Monroe, que está inesquecível no número My Heart Belongs to Daddy. Uma excelente forma de começar a tarde com bom humor. Reprise, colorido, 118 min.

Um Dia de Cão

13H35 NO MAX

(Dog Day Afternoon). EUA, 75. Direção de Sidney Lumet, com Al Pacino, John Cazale e Chris Sarandon.

Excelente dramatização de um fato real. Em um dia de muito sol em Nova York, assaltantes fazem reféns num banco. O chefe dele (Pacino) quer dinheiro para mudança de sexo do namorado (Sarandon). Inspirado em uma história verdadeira, o filme é realista no estilo que marcou o cinema do grande diretor Sidney Lumet. Sem trilha musical, tem muito humor e conquista o espectador. Reprise, colorido, 120 min.

O Turista Acidental

22 H NO TCM

(The Accidental Tourist). EUA, 1988. Direção de Lawrence Kasdan, com William Hurt, Kathleen Turner, Geena Davis, Amy Wright.

Metódico escritor de guias de viagens é abandonado pela mulher, após a morte do único filho. A trágica e sem graça vida do escritor, que não gosta de viajar nem de viver, ganha uma nova luz quando conhece uma jovem e extrovertida divorciada. Lawrence Kasdan era uma grande promessa no início de carreira, escrevendo e dirigindo filmes de classe como este, que é lento, mas muito poético - lembra François Truffaut, que em Jules e Jim e La Chambre Verte falou sobre as coisas mortas que ainda vivem na lembrança e as coisas vivas que vão desaparecendo da memória. Kasdan dirigiu ainda os belos Corpos Ardentes e Silverado. Pena que, com o tempo, foi perdendo a mão. Geena Davis ganhou o Oscar de coadjuvante. Reprise, colorido, 121 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.