Divulgação
Divulgação

Marília Bessy renova o bom e velho rock

Ney Matogrosso divide os vocais com a cantora no disco 'Doce Devassa', que inclui até 'Conga, Conga, Conga'

Felipe Branco Cruz, Agência Estado

16 de fevereiro de 2011 | 10h45

Os primeiros acordes da canção Tem Dias Que Eu Sou Assim, do disco Doce Devassa, de Marília Bessy, dão o tom do que virá nas próximas 13 músicas que compõem o álbum. Uma mistura inspirada em Cazuza e Roberto Carlos, com pitadas de Rita Lee, Cássia Eller, Barão Vermelho, Titãs e Tim Maia. Aos 35 anos, a cantora carioca lança seu segundo disco, agora sob a chancela da Warner Chapel e do selo Discobertas, de Marcelo Fróes. O trabalho conta com a participação especial de Hyldon, George Israel, Rodrigo Santos e Ney Matogrosso.

"Toco bateria desde a minha adolescência. Depois, aprendi guitarra, violão e baixo", diz. Ela conta que era difícil encontrar uma menina que tocasse bateria. "Sou uma autodidata", completa. "Depois comecei a tocar percussão. Cantei em barzinhos, mas não era isso que eu queria. Busquei formar minha própria banda rapidamente". Em seguida, Marília passou a compor e fez um disco demo que entregou na Warner. "Eles gostaram e, em 2006, lancei meu primeiro disco".

No novo álbum, quase todas as canções são de sua autoria, exceto três músicas: Não Vou Ficar (Tim Maia), Tão Longe de Tudo (Guto Goffy ) e Conga Conga Conga (Mr. Sam). Apesar de ter sido composta por Tim, Não Vou Ficar tornou-se famosa na voz de Roberto Carlos. O Rei, aliás, é uma das grandes influências da cantora. Na voz de Marília, a música vem com uma nova sonoridade e uma pegada soul bem ao estilo de Tim Maia.

Tão Longe de Tudo ganhou notoriedade ao ser interpretada pelo Barão Vermelho. Com Marília, a canção perdeu a pegada rock and roll e ficou mais country. A satírica Conga Conga Conga, hit na voz de Gretchen, recebeu contornos de guitarra e baixo, transformando-se num elaborado blues, mas sem perder a sensualidade. O resultado fica bem longe da pegada escrachada imortalizada pela rainha do bumbum.

Figurinos by Daspu - As letras satíricas estão presentes em todas as composições de Marília. "Preciso parar tudo que estou fazendo para compor. Observo o ambiente e começo a escrever", explica. Um exemplo é a canção Vela, que ela escreveu observando as velas de sua casa. "Vi em casa velas para acender, para rezar e comemorar, assim como diz a letra."

Em O Que Você Quer De Mim, Ney Matogrosso divide os vocais com a cantora. "Ele escutou o disco, gostou e aceitou participar." A canção remete ao som do Barão Vermelho e Cássia Eller. Doce Devassa, título do disco e de uma das canções do álbum, combina também com o figurino que a artista utilizou nas fotos da capa. "Foi tudo feito pela ONG Daspu, de garotas de programa do Rio de Janeiro que criaram essa grife. Essas roupas farão parte dos figurinos dos meus shows." No momento, a cantora está focada em ensaiar para seu show de estreia, que deverá ser realizado no Rio de Janeiro, logo depois do Carnaval.

Tudo o que sabemos sobre:
músicaMarília BessyDoce Devassa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.