Marilena Chauí revela segredos da cozinha

Em conversas com os filhos recém-casados e com os alunos, a professora de história da filosofia política na USP, Marilena Chauí, observou que um dos lugares que eles mais temiam em casa era a cozinha. A aflição e a inexperiência em lidar com aqueles utensílios e alimentos, sem falar na pressa, acabavam por afastá-los do fogão. "Nesses conversas surgiu a idéia de fazer uma apostila para ajudá-los. Em casa sempre fomos festivos, além de ser um costume reunir os amigos e a família. Aliás, os amigos também pediram uma cópia da apostila. Entre eles, Glória Kalil, que nos deu a idéia de publicá-la", conta a filósofa. "Daí transformamos o material em livro, mantendo o espírito de querer ensinar o bê-á-bá da culinária."O resultado está numa obra didática e que esclarece as principais dúvidas de um iniciante. Professoras na Cozinha - Pra Você Que não Tem Tempo nem muita Experiência foi, para mãe e filha, um retrospecto envolvente e emotivo da convivência de ambas no quadrilátero da cozinha. Marilena conta que desde pequena acompanhou a mãe em suas alquimias. Lembra-se com orgulho da primeira maionese que preparou aos 9 anos. "Aprendi cedo a bater clara em neve, pois adoro suspiro, e a acertar o ponto da bala de café", conta. Um dos pratos preferidos de Marilena é o camarão na moranga feito por Laura. "Quando morávamos no interior, minha mãe usava apenas camarões miúdos e secos em conserva. Assim que mudamos para São Paulo ela nos apresentou aqueles camarões grandes e rosados. Foi inesquecível."Laura descobriu o prazer de cozinhar com a avó, uma fazendeira do Norte. "Aos 5 anos matei um frango e temperei. Meu avô disse que aquele foi o almoço mais gostoso do ano", comenta. "Sempre fiz pratos simples, que minha avó preparava e me ensinou, mas nunca improvisei para refeições diárias. Lembro-me de uma deliciosa frigideira de ervilhas. Sou baiana, mas como morei um ano com a família de sírios e libaneses de meu marido, costumo mesclar as culinárias", explica Laura.Os capítulos do livro estão divididos em O Que É? O Que É? A Linguagem da Cozinha, em que as autoras relacionam os utensílios indispensáveis numa cozinha prática, ingredientes para a despensa, incluindo massas, carnes, farináceos, temperos e produtos auxiliares. Ainda há dicas de conservação dos alimentos na despensa e na geladeira, um pequeno dicionário com expressões e palavras usadas nas receitas, como untar ou flambar por exemplo, e medidas caseiras. Encerra com a arte de temperar e explicações sobre refeição balanceada e vitaminas. Intitulado Não Dá pra não Saber, o segundo capítulo mostra como escolher, preparar e conservar os alimentos.Mão na massa - Na terceira parte - Não Dá pra não Fazer -, as autoras apresentam o trivial ligeiro, pontuado com as versões que cada alimento pode ganhar, com o que ele combina ou não e receitas de como prepará-lo. Já o quarto capítulo traz um receituário dedicado a quem não tem tempo nem experiência, com pratos fáceis, rápidos e gostosos para todo dia. Laura e Marilena fecham a obra com classe ensinando a arte de receber bem. Para as ocasiões especiais, nada melhor do que saber adequar o cardápio e a decoração da mesa à situação. As sugestões vão de um delicioso brunch a um jantar de cerimônia.Além de receitas de família tiradas da memória e outras inventadas pelas autoras, a obra tem pratos de tias, avós e amigas, incluindo os de algumas colaboradoras: Heloísa Bicudo, Juracy Martins Mil Homens, Marita Prado e Valkiria Roza Vicentini.Professoras na Cozinha - Pra Você Que não Tem Tempo nem muita Experiência, de Laura e Marilena de Souza Chauí. Ed. Senac, 384 págs., R$ 45

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.