Marika Gidali comemora 50 anos de carreira em cena

Marika Gidali, a diretora do BaléStagium, comemora os seus 50 anos de carreira com grande estilo:em cena, no palco do Teatro Sérgio Cardoso. A bailarinainterpreta uma velhinha na coreografia Anjos da Praça, quefica em cartaz até domingo.A personagem foi inspirada em uma mulher pernambucana, quevendia bonequinhas em uma praça da cidade de São Cristóvão."Acabei tornando-me amiga dessa senhora, uma sábia, daquelasque sabem exatamente o que ocorrerá em cada situação. Cheguei air à casa dela, em uma favela, havia fotos dos filhos penduradasem uma parede. Uma pessoa como tantas que ficam pelas ruas doBrasil", diz Marika.Essa velhinha se tornou apenas um dos elementos da coreografia,que tem como pano de fundo a literatura de cordel. Um estilopopular de contar histórias, encenado em 20 fragmentos, asdanças fluem como se fossem trechos lidos. "Em várias cenasdançadas com diferentes temas, como no cordel, podemos tratar deamor, Cruzadas e outros assuntos, saltar do popular ao clássico,com poesia."A temporada marca os 50 anos de carreira da fundadora doStagium. "É uma sensação estranha voltar ao palco depois detanto tempo, mas sem dúvida nenhuma é muito emocionante." Maisque uma comemoração, o espetáculo marca uma vida de paixão peladança e pelas ações de cunho social.Um dos frutos desse trabalho é o Projeto Joaninha, que fará umaapresentação especial gratuita, no sábado, às 17 horas. Ascrianças, vindas de escolas públicas da periferia de São Paulo,fazem aulas de dança com o Stagium. O grupo conta com a presençade 70 meninos e meninas, que apresentarão o espetáculo Dançasna Ilha de Santa Cruz, uma retrospectiva da históriabrasileira com direito à leitura do Estatuto da Criança e doAdolescente. Marika também desenvolve o projeto Dança naFebem, um resgate da auto-estima de adolescentes que passampela instituição. Os projetos são realizados com apoio dogoverno do Estado e da BR Distribuidora.Amelita Baltar - De quarta-feira até o dia 14, o Stagiumapresenta Tangamente, com a presença da cantora argentinaAmelita Baltar. Um símbolo de resistência cultural, uma presençade peso na coreografia. "Este é um momento delicado para osargentinos, por isso resolvemos apresentar este espetáculo - umareflexão sobre a situação de crise atual. A própria Amelitapossui um olhar crítico sobre o que está acontecendo em seuPaís."A cantora interpreta ao vivo canções de Piazzolla, que dão oclima para a coreografia de Décio Otero. Tangamente buscaelementos da cultura argentina, sem cair no clichê do tango ouna encenação.Balé Stagium. De quarta a sábado, às 21 horas; domingo, às 18horas. De R$ 10,00 a R$ 15,00. Teatro Sérgio Cardoso. Rua RuiBarbosa, 153, tel. (11) 288-0136. Até 14/7.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.