Maria Antônia abre espaço para Leirner e Saggese

O Centro Universitário Maria Antônia dá continuidade a seu programa experimental, de abrir um espaço para que os artistas normalmente restritos à programação das galerias e museus possam dar livre vazão a seus projetos, com as exposições de Jac Leirner e Antonio Saggese.Jac, que também expõe seu trabalho numa mostra relâmpago que ocorre no próximo sábado no MAM, estará mostrando dois trabalhos: Hip Hop e Etiquetas. No primeiro, inédito no País, ela cria uma linha com fitas adesivas de diferentes cores e tamanhos que acompanha toda a sala, numa referência a Mondrian. Ela também mostra uma série de trabalhos com cartões de identificação de obras de arte, seguindo uma linha iniciada há vários anos com os cartões de visitas dos figurões do jet set intenacional das artes e que também norteia o trabalho no MAM.Apesar de ser uma mera coincidência o fato de Jac e Saggese estarem expondo simultaneamente, há algo em comum entre os dois. Na instalação Meus Olhos, o fotógrafo também parte do acúmulo de imagens que não são de sua autoria - no caso, imagens de seios retirados de sites eróticos e fotos de seus próprios olhos, retiradas de álbuns de família, para propor uma crítica à falsa idéia de veracidade da fotografia. "As pessoas olham para as imagens e não vêem a fotografia, enquanto ela é construída, não vêem que ela passa por uma ideologia social e pela cabeça de quem está fotografando", conclui.Antonio Saggese e Jac Leirner. De 2.ª a 6.ª, das 12 às 21 h; sáb., dom. e feriado, das 9 às 21 horas. Centro Universitário Maria Antônia. R. Maria Antônia, 294, tel. 255-5538. Até 26/8. Abertura hoje, às 20 horas. Patrocínio Policlin.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.