Marepe abre sua primeira individual em SP

Marcos Reis Peixoto, mais conhecido como Marepe, é um dos representantes do Brasil na 25.ª Bienal de São Paulo e agora também abre sua primeira exposição individual na capital paulista na Galeria Luisa Strina. IntituladaSupletivo Manual, É Natal, a exposição, que ficará abertaaté o dia 20, é composta por uma instalação de várias obrasrecentes.Artista plástico baiano, nascido em 1970 na cidade deSanto Antônio de Jesus, ele é um dos atuais destaques da artecontemporânea nacional. Como o próprio curador da Bienal AgnaldoFarias definiu, o artista é "surgido no interior da Bahia". Ede sua trajetória pode-se dizer que quando tinha 21 anos expôsna Europa e projetou-se como um dos mais criativos artistasbaianos. Em 1997, recebeu prêmio do Museu de Arte Moderna daBahia e foi um dos três vencedores entre 60 artistas brasileirosselecionados do projeto Antártica com Arte. Ganhou uma novaviagem à Alemanha, para visitar a Documenta de Kassel, da qualparticipou de mostras paralelas. Desde então, participou devárias exposições coletivas nos Estados Unidos, Espanha eItália.Marepe difine-se como um artista popular brasileiro.Para ele, é a partir da expressão do regional que o artista podese projetar.Selecionado como um dos representantes brasileiros na25.ª Bienal, Marepe apresenta no 3.º pavimento um imenso muro detijolos arrancado de algum recanto de Salvador e exposto aonatural. No pedaço de muro, há a seguinte inscrição: "Tudo nomesmo lugar pelo menor preço."Entre as obras para essa exposição na Galeria LuisaStrina, Marepe apresenta uma réplica de uma casa feita demadeira com o título Embutidinho. Outra obra é a instalaçãoformada por três caixas de metal, cada uma com um queijo em queo artista desenhou o mapa-múndi em suas cascas. O trabalho, UmFio Que Ligue os Mundos, é completado com um ratinho debombril.Outra obra interessante é o conjunto de panelas de metalem que Marepe inseriu gravações de desenhos com o título deVelas e Sinos Trenó e Deus Menino.E talvez a obra mais chamativa da exposição sejaCajueiro com Neve de Algodão, uma árvore montada peloartista em tamanho real que é envolvida com algodão. O ensaiofotográfico Doce Céu de Santo Antônio, um registro de suaperformance com algodão-doce. A exposição ainda conta comdesenhos do artista.Marepe. De segunda a sexta, das 10 às 19 horas; sábado das 10 às 17 horas. Galeria Luisa Strina. Rua Oscar Freire, 502, tel., 3088-2471. Até 20/4.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.