Marcos Mendonça continua na Cultura de São Paulo

O secretário de Cultura do Estado de São Paulo Marcos Mendonça desistiu de disputar um novo mandato como deputado estadual e vai continuar no cargo que já ocupa há quase oito anos. De acordo com sua assessoria, ele resolveu permanecer à frente da secretaria para finalizar uma série de projetos em andamento e, principalmente, para viabilizar a parceria com Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), costurada recentemente em Washington.Mendonça integrou a comitiva que viajou aos Estados Unidos no final de 2001 para pedir US$ 200 milhões em empréstimos. A parceria envolveu, além da Cultura, as pastas de Transportes e Fazenda. O dinheiro só entra em caixa em 2003, após as eleições, mas, conforme a assessoria, Mendonça quer deixar os projetos viabilizados. Entre as idéias apresentadas, está a de levar projetos como as oficinas culturais, o Projeto Guri e a Universidade Livre de Música para regiões de "alto risco social", como as favelas Pantanal, Elba, Alba e Morro da Macumba.A assessoria nega os rumores de que, ao abrir mão de um novo mandato como deputado estadual, Mendonça esteja mirando as eleições municipais de 2004 ou apostando na vitória de seu partido em 2002 e sua eventual permanência no cargo. De qualquer forma, sua decisão encerra o impasse que rondou a secretaria recentemente, que ainda não tinha substituto para Mendonça. Na semana passada, especulou-se sobre possíveis nomes para assumir a pasta, entre eles o de Emanoel Araújo, que deixou no domingo a direção da Pinacoteca, e o de Milu Vilela, atual presidente do Museu de Arte Moderna de São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.