Marco Maciel é eleito para a ABL

Durou meia hora e um só escrutínio a eleição do senador Marco Maciel (PFL-PE) para a cadeira nº 39 da Academia Brasileira de Letras, cujo último ocupante havia sido o jornalista Roberto Marinho. Ele teve 28 votos e seu principal oponente, o jornalista Fernando Morais, nove, resultado que surpreendeu os dois. Os outros 11 candidatos não foram votados. "Foi acima do que eu esperava", disse Maciel. Fernando Morais não escondeu a decepção com os nove votos recebidos. Ele não contava com a vitória, mas esperava que houvesse, no mínimo, dois dos quatro escrutínios permitidos no regulamento da ABL. Por isso, não pretende se candidatar outra vez. "Nove votos é muito pouco. É uma declaração de que a Academia não me quer e não se entra à força na casa de ninguém", comentou ele ao saber do resultado no hotel Copacabana Palace, onde esperava o resultado da eleição na companhia de amigos cariocas.Imbatível desde quando concorria ao Diretório Acadêmico da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Maciel cumpriu o ritual de visitas aos imortais. Segundo sua mulher, Anna Maria, que aguardou o resultado junto com ele, essa é a eleição mais tranqüila da carreira política de Maciel. "Não dá para comparar, as outras são muito mais tensas", disse ela. Ainda assim, ele mostrou ser uma raposa política ao conquistar o escritor Ariano Suassuna, que tem posições políticas opostas às suas. "Ele foi um dos primeiros a me dar o voto", contou o senador. "O Pernambuco está representado, com o Ariano, paraibano que vive lá, Marcos Villaça e Evanildo Bechara."O senador pretende fazer a ponte entre o Congresso e a Casa de Machado de Assis, especialmente na campanha para ampliar o ensino da língua portuguesa e da literatura no ensino médio e fundamental. "Sou totalmente solidário a esta proposta pois, como dizia Santo Tomás de Aquino, o homem é plenamente humano graças a sua cultura", argumentou. "Mas é bom lembrar que a Academia já está no Congresso. Seu presidente, José Sarney (MPDB-AP), já faz parte desta Casa."Maciel estava desde o início da semana no Hotel Glória, onde recebeu amigos, acadêmicos e candidatos a imortais, como o jornalista Márcio Moreira Alves e a arqueóloga Maria Beltrão. Ambos concorrem, em 4 de março do ano que vem, à vaga que foi do professor Marcos Almir Madeira, numa disputa difícil, pois tem ainda Domício Proença Filho e Antônio Secchin no páreo. O escritor gaúcho Moacir Scliar, que votava pela primeira vez, declarava sua preferência. "Acho que entrei para a academia para votar no Marco Maciel", dizia ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.