Marcas jovens,a surpresa no Rio

Melk Z-Da e Lucas Nascimento sabem aliar conceito e sofisticação

, O Estado de S.Paulo

06 de junho de 2010 | 00h00

 

British Colony. Resgate da elegância em alfaiataria desconstruída em tons suaves

 

O Fashion Rio para primavera-verão 2010/11 teve duas boas estreias. Uma, na verdade, é reestreia: a British Colony, de Maxime Perelmuter, que começou no evento, foi para o SPFW e saiu das passarelas em 2006. Maxime é filho de George Henri, um dos grandes nomes da moda nos 80.

E neste período sabático, fora do circuito, parece que ele resolveu suas questões edipianas e pôde resgatar a elegância e sofisticação da marca do pai, imprimindo suas digitais com olhar moderno. A marca do surfista cresceu. A proposta é de uma alfaiataria desconstruída, que brinca com pedaços da camisa do smoking ou do paletó num clima minimalista e tropical, em branco e tons suaves de azul, verde e coral, com uma ou outra estampa.

A estreia em si é da Triya, marca do trio Isabela Frugiuele, Bebel Fioravanti e Carla Franco, que havia desfilado no primeiro Rio Summer, em 2008. De lá pra cá, sua moda praia também cresceu. A África pauta as cores e o clima selvagem da coleção, com tigrados, cores acesas e contrastantes, rasgos e fendas em maiôs reveladores, com perfume punk. Bom também o tricô de tecido em maxipontos - bem adequado para o calor.

Jovens. E se as marcas mais tradicionais do line-up foram bem, mas não surpreenderam tanto (como Salinas, Lenny, Blue Man, Isabela Capeto e Graça Ottoni), o olhar fashionista pousa nos jovens Melk Z-Da e Lucas Nascimento. O primeiro é de Pernambuco e tem evoluído a cada estação com a utilização de materiais inusitados, geralmente "pobres", que ele transforma em grandes peças e lindos bordados.

Sem medo. Desta vez, a base de sua coleção é aquela tela usada com tapete de banheiro, antiderrapante ou jogo americano, sabe? Sem medo de arriscar volumes e modelagens, Melk (que na verdade se chama Melk Zedec) alia conceito e sofisticação - fato ressaltado ainda mais pelo espírito comercial dominante no evento.

Já Lucas Nascimento, que é de Mato Grosso do Sul e mora em Londres, é especialista em tricô. Em seu segundo desfile, ele traz uma malha leve que oscila entre um visual hi-tech (tricô com cara de náilon) e orgânico (como o jacquard de madeira). Plissados passeiam pela silhueta slim, que é arrematada por óculos de leitura "alinhavados", em formato meia-lua, e o sapato que promete invadir as ruas: o clog, ou seja, aquele salto de madeira que surgiu na temporada de verão europeia.

Chifom, seda, cetim e organza foram alguns dos tecidos escolhidos para receber os bordados que fazem o DNA da mineira Printing.

A versão mais light para o verão favoreceu o trabalho da marca, que conquistou espaço entre as cinco melhores apresentações da temporada carioca. / COLABOROU JORGE WAKABARA

 

PROGRAMAÇÃO

Quarta-feira 9/6

15 h Tufi Duek

16 h Erika Ikezili

17h30 Priscilla Darolt

19 h Rosa Chá

20h15 Reserva

21h30 Cia. Marítima

Quinta-feira 10/6

12h30 Iódice

15 h Ellus

17 h Água de Coco por Liana Thomaz

18 h Alexandre Herchcovitch (fem.)

19 h Cori

20 h Osklen

21h15 Triton

Sexta-feira 11/6

11 h Cavalera

15h30 Maria Bonita

16h30 Wilson Ranieri

17h30 Movimento

18h30 Simone Nunes

19h30 Samuel Cirnansck

21 h FH por Fause Haten

Sábado 12/6

13h15 Reinaldo Lourenço 15h30 Jefferson Kulig

16h30 Animale

18h30 Ana Salazar

20 h Adriana Degreas

21h30 Lino Villaventura

Domingo 13/6

12 h Do Estilista

14h30 Neon

16 h João Pimenta

17 h Paola Robba

18 h Amapô

19 h Mario Queiroz

21 h Colcci

Segunda-feira 14/6

13h15 Gloria Coelho

16 h Herchcovitch (masc.)

17 h Ronaldo Fraga

18 h V.Rom

19 h Fernanda Yamamoto

21 h André Lima

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.