Marca de Alexander McQueen continua após sua morte

'A marca continua viva. É a mais bela homenagem que podemos fazer' a ele, diz o presidente do grupo PPR

EFE,

18 Fevereiro 2010 | 14h46

O estilista britânico Alexander McQueen se suicidou em seu apartamento. Na foto, aparece ao lado da amiga e uma de suas modelos preferidas, Kate Moss. Foto: Myung Jung Kimpa/AP

 

PARIS - A marca do estilista britânico Alexander McQueen continuará existindo e fará seu próximo desfile em 9 de março, confirmou hoje o presidente do grupo PPR, François-Henri Pinault, que se mostrou satisfeito com o balanço anual da grife.

 

"A marca continua viva. É a mais bela homenagem que podemos fazer" a Alexander McQueen, ressaltou Pinault, que elogiou a genialidade do criador e disse que decidiu manter a grife pouco após o anúncio da morte do estilista, em 11 de fevereiro.

 

Em homenagem a Alexander McQueen, o também proprietário de marcas como Gucci, Stella McCartney, Yves Saint Laurent, Bottega Veneta e Balenciaga decidiu enaltecer a "extrema sensibilidade" do "amigo" na apresentação do próximo mês.

 

Tanto Pinault como o presidente do Gucci Group, Robert Polet, destacaram a forma positiva como todas as empresas da PPR reagiram ao saberem do desfile póstumo.

 

Sobre a situação financeira da marca, Pinault disse que ela tem um "grande potencial" e que, depois de se consolidar em 2007 e virar uma grife rentável, passou por um mau momento em 2009 e agora encontra-se "muito, muito perto do ponto de equilíbrio".

 

Em 2010, a Alexander McQueen, que conta com 180 funcionários, continuará com os acordos "estratégicos" que permitiram a comercialização de seus produtos a um público mais numeroso.

 

Segundo o calendário oficial da semana de moda de Paris, a grife desfilará em 9 de março, às 17h30 (de Brasília).

Mais conteúdo sobre:
Alexander McQueen

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.