Maratona proporciona 14 h de Liz

O Senhor dos Ladrões

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

24 de março de 2012 | 03h08

15H15 NA RECORD

(Thief Lord). Alemanha, 2006. Direção de Richard Claus, com Aaron Johnson, Jasper Harris, Rollo Weeks.

Dois irmãos juntam-se a grupo de ladrões mirins numa Veneza de fantasia, em que até o Leão de São Marcos adquire vida. Reprise, colorido, 98 min.

A Lente do Amor

21H15 NO SBT

(Addicted to Love). EUA, 1997. Direção de Griffin Dune, com Meg Ryan, Matthew Broderick, Kelly Preston, Tcheky Karyo.

Meg Ryan, na pele de uma fotógrafa, e Matthew Broderick iniciam romance e os antigos pares dos dois (Kelly Preston e Tcheky Karyo) se unem para tentar separar o casal. Comédia romântica com direção do ex-astor de Martin Scorsese em Depois de Horas. Griffin Dunne saiu-se melhor em Da Magia à Sedução, com Sandra Bullock e Nicole Kidman. Reprise, colorido, 100 min.

No Calor do Verão

21H45 NA CULTURA

(Camping Sauvage). França, 2005. Direção de Christophe Ali e Nicolas Bonilauri, com Denis Lavant, Isild

Le Besco.

Denis Lavant faz o novo (e rude) funcionário de um acampamento de verão. Taciturno, o quarentão se transforma em alvo do jogo de sedução da jovem Isild Le Besco. O filme se chama No Calor do Verão como poderia se chamar Verão Assassino - se esse título já não pertencessea um antigo thriller de Jean Becker com Isabelle Adjani, dos anos 1980. Poderia ser interessante, mas o terceiro ato, o desfecho, não convence. Reprise, colorido, 74 min.

Amélia

22H30 NA TV BRASIL

Brasil, 2000. Direção de Ana Carolina Soares, com Marília Pêra, Béatrice Agenin,Camila Amado, Pedro Bismark, Alice Borges, Marcelia Cartaxo, Betty Gofman, Xuxa Lopes.

A Amélia do título, que quase não aparece - interpretada por Marília Pêra -, é a camareira brasileira da estrela francesa Sarah Bernhardt. Quando a diva visita o Brasil, as irmãs de Amélia deixam o interior de Minas e se aventuram na corte, para tentar reencontrar a irmã. A diretora (autora) Ana Carolina inverte a antropofagia de Como Era Gostoso o Meu Francês, de Nelson Pereira dos Santos. Aqui, é a francesa que canibaliza as matutas. Reprise, colorido, 130 min.

Latitude Zero

23 H NA CULTURA

Brasil, 2001. Direção de Toni

Venturi, com Débora Duboc, Cláudio Jaborandy.

Cláudio Jaborandy faz o estranho que irrompe na vida de Débora Duboc. Ela possui um restaurante na beira da estrada, numa região fronteiriça. Fascinante estudo da solidão, numa paisagem áspera. O casal de atores segura o drama com intensidade. Reprise, colorido, 85 min.

Despertar de Um Pesadelo

23 H NO SBT

(The Long Kiss of Goodnight). EUA, 1996. Direção de Renny Harlin, com Geena Davis, Samuel L. Jackson,

Patrick Malahide, Craig Bierko.

O segundo de dois filmes consecutivos que o diretor Harlin fez com sua então mulher, Geena Davis (o primeiro foi A Ilha das Gargantas Cortadas). O fracasso de ambos, dois filmes de gênero, acabou com a união e (quase) com a carreira dele. Geena faz mulher que vive feliz com a filha até descobrir que teve amnésia, Na verdade, é uma antiga assassina e agora há um colega que a caça (para matar). O filme começa sério, e bom. Depois, muda o tom, e não se encontra mais. Reprise, colorido, 120 min.

Vicky Cristina Barcelona

0H05 NA GLOBO

(Vicky Cristina Barcelona). EUA, 2008. Direção de Woody Allen, com Javier Bardem, Penelope Cruz, Scarlett Johansson, Rebecca Hall, Patricia Clarkson.

O pior dos filmes itinerantes de Woody Allen, esses que ele vem fazendo em Londres, Paris, Roma, etc. Pior talvez seja exagerado, mas a história das garotas americanas que, na Espanha, se envolvem com garanhão exagera nos estereótipos. Machão latino, mulher à beira de um ataque de nervos - Penelope Cruz ganhou o Oscar de coadjuvante pelo papel -, você pode até rir, mas é fraco, principalmente em se tratando de um diretor (autor) como Allen. Inédito, colorido, 96 min.

TV Paga

A Força do Coração

14 H NO TCM

(Lassie Come Home). EUA, 1943. Direção de Fred M. Wilcox, com Roddy McDowall, Elizabethy Taylor, Donald Crisp, Dame May Witty.

Um dos melhores, senão o melhor filme sobre a ligação entre animais e crianças. Família pobre precisa vender cachorra e ela inicia tortuoso caminho de volta para casa (como 'o cavalo da guerra' de Steven Spielberg). A menina Elizabeth Taylor, aos 11 anos, é um encanto. Reprise, preto e branco, 88 min. O programa inicia a homenagem que a emissora presta à maior estrela de Hollywood no primeiro aniversário de sua morte (ontem, dia 23). Virão depois - Ivanhoé, o Vingador do Rei, de Richard Thorpe, também com Robert Taylor e Joan Fontaine, às 15h35; Cleópatra, de Joseph L. Mankiewicz, com Richard Burton e Rex Harrison, às 17h30; Quem Tem Medo de Virginia Woolf?, de Mike Nichols, pelo qual Liz ganhou seu segundo Oscar, também com Richard Burton, às 22 h; e A Árvore da Vida, de Edward Dmytryk, com Montgomery Clift, à 0h30. No total, serão 14 horas de programação (e de Liz Taylor).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.