Maratona do "Big Brother 3" começa amanhã

Novas caras, antigo formato.Apesar de entrar no ar com a promessa de mudanças, a essência doBig Brother Brasil continua a mesma nesta terceira edição,que estréia amanhã, às 21h55, na Globo: muito blábláblá, quenão chega a lugar nenhum. É a proposta do entretenimento levadaàs últimas conseqüências. Entretenimento, com uma carga devoyeurismo.O enredo já é conhecido do público: 14 pessoas comuns -em vez de 12, como nas edição anteriores - ficam confinadas numacasa construída nos estúdios do Projac, no Rio, sob a vigíliaininterrupta de câmeras e microfones. Serão 12 semanas deenclausuramento. Sete homens e sete mulheres, gente que nunca seviu até então, terão de dividir o mesmo teto, todo santo dia. Edá-lhe brigas, fofocas, intrigas, "panelinhas", namoricos,exibicionismo e outros ingredientes que compõem a tão popularreceita dos "shows da realidade".A exemplo do que ocorreu com o BBB 2, o diretor denúcleo, J.B. de Oliveira, o Boninho, e equipe voltaram a darprioridade à diversidade dos participantes. Por isso, desfilarãopela telinha desde a atual miss Brasil até um secretárioparlamentar. Haverá ainda mergulhador, promotor de vendas,publicitário, massagista, DJ, personal trainer, professora eoutros, de diferentes Estados brasileiros. Como Boninho dissecerta vez, a idéia de selecionar "moradores" com carreiras jádefinidas evita possíveis oportunistas, que usam a visibilidadedo programa como trampolim para suas aspirações artísticas.Mas pela estampa dos 14 selecionados, a embalagemcontinua a superar o conteúdo. É requisito básico. Desta vez, asCidas da vida ficaram de fora. Quem acompanhou o Big Brother2 deve se lembrar bem da aeromoça chamada Cida, que fugia atodos os estereótipos de beleza. Era a mais velha, não tinha ocorpo malhado e chegou a ser rejeitada por quase todo o grupo.Foi, entretanto, o grande azarão do game e ficou entre osfinalistas.O BBB 3 não tem uma Cida, mas tem seu Kléber Bambame seu caubói Rodrigo, representantes do povo que venceram aprimeira e segunda do reality show, respectivamente. É aprofessora Elane, de 18 anos, que mora no interior da Bahia,única nordestina em meio a paulistas, cariocas e sulistas.Talvez, por isso, ela se torne uma das fortes concorrentes aoprêmio de R$ 500 mil.Novidades - Dois homens e duas mulheres vão enfrentar oparedão logo na primeira semana de programa. Dois deles serãoeliminados. A partir daí, o jogo volta ao que era antes, ou seja, uma eliminação por semana. Há ainda outras novidades, como opré-programa que foi ao ar na quinta-feira passada. Nele, ostelespectadores escolheram um homem e uma mulher, entre quatrocandidatos, que vão se unir aos 12 participantes jápré-selecionados.Além disso, os candidatos não poderão mais optar peloquarto onde irão dormir. A partir de agora, a escolha será porsorteio. Haverá quartos duas-estrelas, três-estrelas e albergue.O líder da semana, que não pode ser indicado para o paredãopelos colegas, ficará na suíte. E um segundo participante tambémconquistará imunidade ao paredão, ao adquirir o chamado "direitode veto".

Agencia Estado,

13 de janeiro de 2003 | 17h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.