Manuscritos inéditos de Anne Frank, em NY

Contos de fada, contos, ensaios, o início de um romance - aos 15 anos, Anne Frank não escreveu apenas um diário nos dois anos em que se escondeu dos nazistas. Uma mostra com parte desse seu variado trabalho, Anne Frank the Writer: An Unfinished Story, será aberta no Museu do Holocausto, em Nova York, nesta quarta-feira.Em São Paulo, o aniversário de Anne Frank celebrado em 12 de junho, é comemorado com a prorrogação da mostra Anne Frank ? Uma História para Hoje até o dia 31 de agosto, no Centro da Cultura Judaica-Casa de Cultura de Israel. Trata-se de uma produção documental itinerante, coordenada pela Anne Frank House de Amsterdã.Traduzido para dezenas de idiomas, O Diário de Anne Frank descreve os 25 meses nos quais a jovem judia se escondeu, em Amsterdã, dos exércitos nazistas. "Será que um dia serei capaz de escrever algo realmente grande, serei uma jornalista ou escritora? Espero realmente que sim, pois eu poderia então recriar tudo quando eu escrevesse, meus pensamentos, minhas idéias e minhas fantasias", escreve a menina em um dos textos encontrados em um caderno intitulado Stories and Events from the Anex, exposto em Nova York. "O mundo tem tantos quartos, riquezas, dinheiro e beleza. Deus criou o suficiente para todos nós. Vamos começar a dividir tudo de modo mais justo", escreve, em um pequeno ensaio.Anne Frank morreu de tifo, três meses antes de completar 16 anos, poucas semanas antes da libertação do campo de concentração em que estava presa perto de Hamburgo, no norte da Alemanha.Serviço - "Anne Frank ? Uma História para Hoje". Centro da Cultura Judaica, localizado à rua Oscar Freire, 2.500, próximo ao metrô Sumaré. Até 31 de agosto. Horários: seg. das 18h30 às 21h00. Terça a sexta: das 10h00 às 21h00. Sábados e domingos das 14h00 às 19h00. Censura: livre.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.