Manuscritos antigos indianos já estão disponíveis na rede

Um milhão dos antigos manuscritos da Índia estão acessíveis em uma base de dados na internet inaugurada hoje pela ministra da Cultura, Ambika Soni, que lamentou que o indiano "moderno" tenha começado a olhar seu passado com "desdém ou indiferença". Ambika pediu a ONGs, estudiosos e ao povo em geral que "contribuam para expandir a mensagem do valor e riqueza que os manuscritos antigos têm para a sociedade do conhecimento", segundo um comunicado do Ministério do Turismo e Cultura. A base de dados on-line em inglês e em híndi pretende tornar mais acessíveis os pilares do saber e da cultura indianos e constitui um recorde mundial, segundo Ambika, que assegurou que a Índia é o país do mundo que possui mais manuscritos antigos - cinco milhões no total. Além do lançamento da Base de Dados Nacional de Manuscritos, 45 destes antigos documentos foram proclamados hoje "tesouros da Índia", uma lista de obras de referência na cultura indiana que, em diferentes momentos da história, representaram uma ruptura nos sistemas de conhecimento. Estes 45 manuscritos contarão com medidas especiais de proteção, como a dotação de infra-estruturas especiais para sua correta conservação e a transcrição e digitalização dos mesmos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.