Mansão de Bruce Lee em Hong Kong pode virar museu, diz jornal

Uma mansão de luxo em Hong Kong quepertenceu à lenda do kung fu Bruce Lee pode virar museu, disseum jornal na quinta-feira. O filantropo bilionário Yu Panglin pôs a mansão de doisandares, no bairro de luxo de Kowloon, à venda, mas mudou deidéia, de acordo com o jornal South China Morning Post. "Vou considerar as opiniões da comunidade e de diferenteslados. Posso considerar doar a propriedade se a maioria acharque devemos preservá-la", disse Yu na reportagem, acrescentandoque recusou uma oferta equivalente a 13 milhões de dólares. Lee, que morreu de forma misteriosa em 1973, aos 32 anos,estrelou clássicos como "O Dragão Chinês", "Jogo da Morte" e"Operação Dragão". Ele é venerado por adeptos das artes marciais e cinéfilosdo mundo todo por ter popularizado o kung fu como gênerocinematográfico, além de ter impulsionado a era de ouro docinema de Hong Kong, no fim dos anos 1960. Apesar dos muitos fãs, Hong Kong tem feito pouco parapreservar a memória de Lee --que nasceu nos Estados Unidos, masadotou a cidade. "Essa notícia seria fantástica porque os fãs e a comunidadenão teriam dinheiro para comprar esta propriedade", disseMichael Tien, membro do fã clube de Bruce Lee de Hong Kong,segundo o jornal. O governo disse que consideraria a possibilidade detransformar a espaçosa residência de Bruce Lee em museu,tomando como exemplo outros memoriais, como o Beatles Story, emLiverpool, e a Graceland de Elvis Presley, em Tennessee. "Acho que a comunidade gostaria de ver uma solução criativaque envolveria o setor privado", disse uma autoridade do setorde turismo, segundo o jornal.

REUTERS

03 de julho de 2008 | 10h34

Tudo o que sabemos sobre:
GENTEBRUCELEEMUSEU

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.