Manifesto sem letras

Barney Kessel (1923-2004) era sempre a primeira opção dos estúdios hollywoodianos quando algum compositor escrevia um tema para guitarra - caso de Rebeldia Indomável (Cool Hand Luke), de Lalo Schifrin. Renomado músico de jazz, ele tocou ao lado de lendas como Charlie Parker e Oscar Peterson. Foi esse trânsito entre o cinema e o jazz que tornou Kessel um instrumentista e arranjador requisitado no mundo do espetáculos.

ANTONIO GONÇALVES FILHO, O Estado de S.Paulo

10 de março de 2012 | 03h09

Hair Is Beautiful, novo volume da Coleção Cultura, foi lançado um ano após a estreia do musical Hair na Broadway (1968). Mais que uma curiosa releitura dos temas de James Rado e Gerome Ragni (libreto), trata-se de uma reinterpretação das melodias de Galt McDermot, que conseguiu criar um musical hippie e antibélico (durante a guerra do Vietnã) em plena Broadway. Sem as letras das canções, o manifesto poderia ter perdido a força, não fosse a habilidade de Kessel ao lado do baixista Tony Campo, do baterista Barry Morgan e dos organistas Kenny Salmon e Steve Gray.

BARNEY KESSEL

HAIR

IS BEAUTIFUL

Selo Cultura/Warner Music

Preço:

R$ 34,90

BOM

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.