Evelson de Freitas/AE
Evelson de Freitas/AE

Mamma Nossa

Um dos maiores sucessos da Broadway, o musical Mamma Mia! chega a São Paulo e traz novidades: canções cantadas em inglês

Ubiratan Brasil / NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

07 de novembro de 2010 | 00h00

O brilho do sol grego vai iluminar o palco do Teatro Abril a partir de quinta-feira - depois de uma temporada de espetáculos sombrios (O Fantasma da Ópera, Miss Saigon, Cats), o tradicional espaço dedicado aos musicais da Broadway passa a abrigar Mamma Mia!, um dos maiores sucessos de bilheteria, atraindo mais de 45 milhões de pessoas em 30 diferentes produções pelo mundo.

Tamanha empolgação é justificada pela trilha sonora, baseada em composições do ABBA, grupo sueco que, por ser tão famoso no Brasil, vai abrir uma exceção na carreira do Teatro Abril: pela primeira vez, em dez anos de atividades, o espaço recebe um musical que terá canções cantadas também em inglês. "Os brasileiros são tão íntimos com a obra do ABBA que decidimos encerrar Mamma Mia! com um minishow em que três músicas são interpretadas no original", conta o produtor americano David Holcenberg.

De fato, nas apresentações realizadas para convidados na semana passada, o encerramento com Dancing Queen, Waterloo e Mamma Mia provocou um verdadeiro alvoroço, com o público quase tomando os corredores para dançar. A cena se repete em Nova York, onde o musical viveu um revival há duas semanas quando houve uma troca de elenco.

Como de hábito, Mamma Mia! segue rigorosamente a concepção do original criado por Benny Andersson e Björn Ulvaeus, remanescentes do quarteto sueco. O toque brasileiro está na escalação do elenco de 32 atores, liderados por Kiara Sasso e Saulo Vasconcelos, e na tradução para o português de 23 hits do ABBA, executada por um especialista em musicais, o ator e diretor Claudio Botelho. No total, a empresa Time For Fun vai investir US$ 12 milhões, entre produção e manutenção.

"Mamma Mia! é o musical que nunca soubemos que já havíamos escrito", disse Ulvaeus na estreia em 1999 que, com seu ex-parceiro de banda, já havia composto o bem-sucedido musical Chess, com letras de Tim Rice. "Nossas músicas sempre foram sobre relacionamentos e contam uma história."

Assim, o espetáculo acompanha Donna (Kiara) que vive em uma ilha grega e se prepara para o casamento da filha Sophie (Pati Amoroso). Como não sabe quem é o verdadeiro pai, a menina convida três antigos amantes da mãe (vividos por Vasconcelos, Cleto Baccic e Carlos Arruza), na esperança de descobrir. Está aberto o caminho da confusão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.