MAM sedia "Aeroporto" de jovens artistas

O músico Marcelo Ozório idealizou uma pista de pouso para jovens artistas contemporâneos aterrissarem com música, artes cênicas e visuais. Instalou-a entre as mesas e cadeiras do restaurante do Museu de Arte Moderna de São Paulo, que abriga o evento de 15 em 15 dias, sempre às quintas-feiras. Amanhã é dia de Aeroporto.Artista plástico e músico por vocação, Ozório começou a se apresentar no restaurante com sua banda no ano passado, em jam sessions. Com a adesão de outros artistas tornou o evento multimídia. Na música, Ozório optou pela espontaneidade. Ele na guitarra, Nadinho no baixo e César na bateria, junto a DJs e músicos convidados, compõem as músicas na hora da apresentação, ao sabor da reação do público de cada noite.As artes visuais ficam por conta de outros três artistas. Geandre Tomazoni desenha ao vivo por meio de retroprojetores, slides e computador. Giuliano Scaduzzi projeta vídeos pelas paredes, com imagens do Centro de São Paulo. As performances são de Rodrigo Araújo, que se transforma em vendedor ambulante de imagens. Além deles, qualquer artista interessado pode mostrar seu trabalho.Segundo Ozório, Aeroporto está em fase de transformação. E espera que essa fase nunca acabe. "O trabalho do artista é isso, estar sempre experimentando", diz. Sua idéia é atrair pessoas mais velhas e artistas conceituados. Assim, segundo ele, os jovens aprenderão e terão seus trabalhos conhecidos por quem admiram. O clima do restaurante nas noites do Aeroporto é descontraído e recebe um público variado, de diversas idades.Os planos do artista saíram do papel quando o setor educativo do MAM de São Paulo resolveu apoiá-lo cedendo o espaço do restaurante. A quinta-feira é um dia estratégico, pois o museu fica aberto até as 22 h e as pessoas podem aproveitar duas atrações na mesma noite. As exposições em cartaz são a coleção de arte contemporânea O Espírito de Nossa Época e vídeo instalações de Steve McQueen.Aeroporto - Restaurante do Museu de Arte Moderna de São Paulo. Amanhã, a partir das 19 h. Às quintas, quinzenalmente. (Parque do Ibirapuera, portão 3. Tel.: 5549-9688). Entrada franca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.