MAM define nova comissão curatorial

Quase dois meses depois da saída deIvo Mesquita do cargo de diretor técnico do Museu de ArteModerna de São Paulo (MAM), finalmente foi definida a composiçãode uma nova comissão curatorial, que será formada por TadeuChiarelli, Felipe Chaimovich e Maria Alice Milliet. Os trêsserão responsáveis por avaliar e sugerir projetos de exposiçõese ainda indicar possíveis curadores para realizar mostrastemporárias no museu. Rejane Cintrão continua como curadoraexecutiva. Segundo Rejane, a situação do MAM vai ficar como eraantes da gestão de Tadeu Chiarelli, que foi diretor técnicoentre 1996 e 2000. "O Tadeu tinha o cargo de diretor, mas cadavez mais começou a tomar um perfil mesmo de curador dasexposições. Agora, a comissão curatorial terá esse papel e oTadeu vai retomar suas atividades em relação ao acervo do museu,como a aquisição de novas obras", diz.Tadeu Chiarelli reforça que o papel dessa nova comissão,"mais efetiva", será o de auxiliar Rejane Cintrão na execuçãodos projetos. "Será uma comissão que se reunirá uma vez por mêspara assessorar uma instituição", explica. O crítico de arte eprofessor da Escola de Comunicação e Artes da USP exemplificaque também faz parte da comissão curatorial do CentroUniversitário Maria Antônia e que, entre outros compromissos,seu trabalho ao lado de Maria Alice Milliet e Felipe Chaimovichserá o de orientar e opinar sobre os projetos. "Pode ser quecada um de nós (ou os três) faça curadoria de exposições, masessa não é a questão fundamental. O papel principal é orientar", afirma.Ele também diz que é prematuro dizer que retomará suaatividade junto ao acervo do museu. Agora, sem a figura de umdiretor técnico, a proposta do museu é ser auxiliado por essanova comissão, formada por três profissionais que têm um passadojunto ao MAM. Maria Alice Milliet já foi diretora técnica assimcomo o próprio Tadeu Chiarelli. E Felipe Chaimovich fez parte doprograma de jovens curadores, iniciativa da gestão de Chiarelli,da mesma forma que Rejane Cintrão, "o coração do museu" comodescreveu Chiarelli. Caberá a ela executar as propostas dessestrês profissionais e poderá também formatar uma ou outraexposição.Ainda é cedo para dizer como será o resultado dessa novaescolha do MAM, mas a expectativa de Chiarelli é positiva. Eleacredita que o diálogo com a curadora executiva do MAM será maisprodutivo, o contato será mais próximo, uma vez que a comissão éformada por apenas três pessoas. "Até agora, as comissõescuratoriais contavam com nove a dez pessoas, isso tanto na minhagestão quanto na de Ivo Mesquita. Por mais boa vontade que todostivessem, acabava sendo improdutivo. A própria presidência domuseu percebeu isso."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.