MAM abre mil vagas em seus novos cursos

Todo museu que se preze deve, além de manter um bom acervo e organizar exposições temporárias, promover reflexões e discussões sobre arte. Foi pensando nisso que o Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM) criou, em 1998, um setor educativo, que oferece várias opções de cursos livres. Nesse semestre, a instituição vai oferecer mil vagas divididas em 37 cursos, a maioria sobre artes plásticas - como tinta acrílica, pintura a óleo e desenho -, os mais procurados. Mas há ainda cursos de fotografia, cinema, literatura, história e até yoga. "A idéia é ministrar cursos agradáveis e sempre relacionar o assunto com outras linguagens artísticas", explica Vera Barros, coordenadora do setor educativo. Cada curso tem número de vagas, duração e preço específicos, que variam de acordo com as necessidades de cada um. O curso de Origami, por exemplo, dado pela professora e escritora Mari Kanegae, custa R$ 30 por aula. Já os seminários sobre cinema contemporâneo, coordenados por Alfredo Manevy, com duração de dois meses, saem por R$ 240 mensais. O único curso gratuito é o Bate-Papo: Cidadania, que dura quatro meses e foi organizado pelo engenheiro Emmanuel Prado Lopes e pelo professor Alfredo Barbetta. Nas salas de aula, predomina o público adulto de áreas profissionais totalmente diferentes interessados em aprimorar seus conhecimentos sobre arte. Mas as crianças e adolescentes também têm espaço na programação em cursos como o Extraterrestre, em que os artistas Carlos Barmak e Felipe Salém estimulam as crianças de 5 a 10 anos a desenhar, pintar e fazer esculturas, ou o curso de Prática Artística para Todos, coordenado por Álvaro Picanço e Paulo Pitombo, que é indicado para adolescentes, principalmente os portadores de deficiência, porque tem como objetivo criar condições para a prática artística, respeitando a especificidade de cada aluno. Há ainda os cursos de teatro - um para crianças e outro para adolescentes -, que serão ministrados pelos professores da Casa do Teatro Ulisses Cohn e Ligia Cortez, durante quatro meses cada um. Os quatro custam R$ 80 por mês. Vera Barros avisa que em 2002 os cursos de escultura e história serão privilegiados. "A cada ano escolhemos uma linha filosófica a seguir", explica. Este ano, fotografia e cinema foram os destaques - com seis cursos diferentes no total -, depois das artes plásticas, que serão sempre o carro-chefe da programação. As inscrições para os cursos deste semestre estão abertas e podem ser feitas nas três unidades do MAM - Ibirapuera, Higienópolis e Villa Lobos. Além dos cursos, o setor educativo do MAM ainda promove visitas monitoradas gratuitas para estudantes e organiza sessões gratuitas de cinema e música.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.