Maldição no túmulo de Shakespeare impediu exumação

Uma maldição no túmulo do dramaturgo inglês William Shakespeare (1564-1616) teria impedido os restos mortais do escritor de serem exumados, segundo os achados de um especialista britânico. Philip Shwyzer, historiador e arqueólogo da Universidade de Exeter, na Inglaterra, encontrou a maldição escrita na tumba de Shakespeare, no cemitério de uma igreja em Stratford-upon-Avon, ao sul do país. A frase diz: "Curst be he yt moves my bones" (Maldito será aquele que mover meus ossos). Segunda-feira, 23, marcou o aniversário de nascimento (443 anos) e de morte (391 anos) do escritor. "Ele tinha uma obsessão incomum por enterros e medo da exumação", declarou Schwyzer. Segundo o professor inglês, o genial dramaturgo tinha expressado em sua obra a "ansiedade pronunciada depois da morte". "A inscrição é ao menos parcialmente responsável pelo fato de que os projetos para abrir o túmulo de Shakespeare não tiveram êxito", declarou Schwyzer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.